Você em Análise

A Relação Entre Padrasto ou Madrasta e Enteados

Comente este artigo

Nos últimos tempos foram noticiados diversos casos de abusos ou maus tratos de padrastos e madrastas para com seus enteados. Por que isso acontece? É possível tornar essa convivência sadia? Como saber se seu filho está sendo agredido pelo seu parceiro?

Essa relação é muito delicada, porém cada vez mais comum nos dias atuais. A constituição familiar tem novas facetas. Na atualidade nos deparamos com tantos casamentos destituídos e reconstituídos que conviver com madrasta e padrasto tornou-se uma situação comum a muitas crianças, adolescentes e adultos.

Essas duas palavrinhas, madrasta e padrasto vêm, à primeira instância, carregada de conotação negativa. Contudo, eles têm um papel muito importante na convivência e criação de seus enteados, contribuindo na sua educação, crescimento pessoal, bem estar social e familiar. Com essa relação bem estabelecida ficará mais fácil conduzir todo o contexto.

Esse processo é bastante complexo para ambos envolvidos, é uma relação que deverá ser construída bem devagar, aos poucos, com muita paciência, respeito, carinho e amor, pois esses sentimentos se conquistam e jamais poderão ser exigidos. O vínculo afetivo, diálogo, amizade e o acolhimento devem se fazer presente desde os momentos iniciais, a criança ou o adolescente deverá ser conquistado por essa pessoa antes que entre no seu dia a dia. É como dizem, transmitir amor para receber amor.

É normal e bem provável que haja, inicialmente, uma rejeição por parte do enteado, pois em seu interior habita uma dor emocional, mas nada como um bom diálogo para esclarecer as dúvidas existentes e, sabendo conduzir esse novo momento, nada dará errado. É uma nova relação de filiação, são processos complexos para todos que estão envolvidos, pois é um novo membro que entra em um lugar antes ocupado por outra pessoa, sendo preciso um esforço de todos para que o marido da mãe se torne padrasto assim como a esposa do pai se torne madrasta.

Porém nem sempre todos têm a sorte de conviver com pessoas do bem, então como o pai ou a mãe pode saber se algo de errado está acontecendo? Normalmente a criança ou adolescente expõe esse problema numa mudança de comportamento, inicialmente é difícil de observar, mas ela pode se mostrar agressiva ou calada, ter baixo rendimento escolar, ter problemas com os amigos e em outras áreas de seu convívio. É muito comum a criança expor e apontar que algo está errado, seja em suas brincadeiras ou em desenhos feitos por ela.  Outro forte indício de que algo não vai bem é quando a criança demonstra reações incomuns em contato com seu agressor, podem surgir dores de barriga, desconforto por ficar nos mesmos ambientes e restrição ao contato visual ou em diálogos. Observadas essas alterações comportamentais é necessário dialogar com a criança, de forma bastante amistosa, em busca de informações sobre o que está acontecendo. Caso haja realmente essa suspeita, a intervenção profissional de um Psicólogo será extremamente importante para preservar um desenvolvimento sem traumas e futuras agressões, sejam psicológicas ou físicas.

Fique atento ao comportamento e à personalidade de quem você escolherá para fazer parte de seu convívio íntimo, pois essa pessoa conviverá com o seu bem mais precioso, seu filho!

Michele Guimarães de Azevedo Martins
Psicóloga formada há 13 anos, pela Universidade católica de Petrópolis (RJ). Pós graduada em psicanalise e gestão de recursos humanos. Trabalha como psicóloga clínica. Professora de cursos técnicos. Trabalhou na Prefeitura de Três Rios coordernando grupos de tabagismo e através de palestras, trabalhou na prevenção e promoção de saúde mental.

Dê sua opinião, comente este artigo!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.