Você em Análise

Anorexia, a falsa busca da perfeição.

Comente este artigo

Diante de um mundo que nos impõe, que nos cobra uma imagem perfeita, uma silhueta de Barbie, fica difícil de não cairmos em tentação de dietas milagrosas e muitas vezes se deparar com transtorno que nos deixam perdidos em busca de um ideal, uma “beleza” induzida pela população.

A mídia e a sociedade são grandes responsáveis pelo surgimento de um distúrbio conhecido como anorexia. A televisão e revistas de moda, bem como os estereótipos sociais de beleza despertam nas pessoas, a sensação de que só serão felizes e populares se seguirem um determinado padrão físico.

A anorexia nervosa é um distúrbio alimentar que provoca uma perda significativa de peso que não condiz com a idade e altura. Pessoas com anorexia possuem um medo intenso de ganhar peso, mesmo quando estão abaixo do peso normal. Elas podem abusar de dietas ou passar horas em academias se exercitando ou usar outros métodos para emagrecer, como laxantes entre outras substâncias “milagrosas” Geralmente as pessoas que sofrem esse transtorno apresentam uma personalidade perfeccionista.

Nela ocorre uma distorção da imagem corporal, ou seja, a pessoa não enxerga o verdadeiro corpo, não o aceita. Sempre acha que há uma gordurinha a mais, mesmo estando muito magra. Isso pode levar a um quadro de ansiedade e fazer com que a pessoa busque maneiras radicais de perder peso rapidamente.

Na anorexia acontece um jejum auto-induzido. O anoréxico engana a fome várias vezes, chupando gelo e comendo muitas cenouras, pois são coisas que não tem calorias e assim não engordam. Costumam preparar belas refeições, mas não as consomem.

Anorexia é um distúrbio muito comum entre adolescentes, principalmente por conta da pressão social existente nessa fase da vida e todas as mudanças que ocorrem no corpo e na mente. Entretanto, pessoas de todas as idades podem desenvolver o problema, principalmente mulheres.

Grandes mudanças na vida e na rotina podem acarretar o aparecimento desse distúrbio alimentar.

Pessoas ligadas ao esporte e ao mundo artístico, como atores, atrizes e modelos, são mais propensas a desenvolver anorexia, pois trabalham com a própria imagem e sofrem julgamentos por um número maior de pessoas. O olhar do outro tem grande significância na nossa auto-imagem.

O grau de mortalidade nesse transtorno é alto. Os anoréxicos morrem de subnutrição, desidratação, arritmia cardíaca por falta de potássio e de cálcio.  Apresentam perda de peso violenta, perda da menstruação, intolerância ao frio por não possuírem gordura corporal, pele amarelada, queda de cabelo, pele ressecada, desmaios, flacidez, retardo do desenvolvimento sexual, inibição do impulso sexual, frequência cardíaca lenta (bradicardia), baixa pressão sanguínea (hipotensão), baixa temperatura corporal (hipotermia) e vários distúrbios no metabolismo o qual pode levar ao aparecimento de muitas doenças físicas, pois seu organismo não tem proteção, além de problemas psicológicos como a depressão.

Geralmente o indivíduo não tem consciência de que está passando por dificuldades e precisará de muito apoio para superar esse momento.

A causa exata da anorexia ainda é desconhecida, mas acredita-se que fatores biológicos, psicológicos e ambientais estejam envolvidos nas possíveis causas para a doença. Cobranças da sociedade que exaltam, idolatram e promovem tipos de corpos muito magros também podem estar envolvidas.  Os genes e os hormônios podem desempenhar um papel no seu aparecimento.

O tratamento consiste em uma equipe multiprofissional formada por  nutricionistas, psicólogos e outros especialistas em distúrbios alimentares serão fundamentais para tratar e acompanhar esse paciente.
O maior desafio no tratamento da anorexia é fazer a pessoa reconhecer que tem uma doença. A maioria das pessoas com anorexia não aceitam que tem um distúrbio alimentar.

Não se deixe influenciar, seja você!

Michele Guimarães de Azevedo Martins
Psicóloga formada há 13 anos, pela Universidade católica de Petrópolis (RJ). Pós graduada em psicanalise e gestão de recursos humanos. Trabalha como psicóloga clínica. Professora de cursos técnicos. Trabalhou na Prefeitura de Três Rios coordernando grupos de tabagismo e através de palestras, trabalhou na prevenção e promoção de saúde mental.

Dê sua opinião, comente este artigo!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.