Textículo

O caso dos bocós que não sabiam matemática

Comente este artigo

Como vocês bem sabem, as redes sociais tornaram-se um palco de guerra entre grupos travestidos de coxinhas-direitistas e trouxinhas-esquerdistas, onde cada um deles puxa e estica a Dona Sardinha para seu lado.

Justo muito justo, justíssimo - afinal de contas, vivemos em um país democrático (ainda)  e o direito de liberdade de expressão é garantido pela Constituição Federal (aproveitem enquanto podem!), mesmo que seja uma daquelas besteiras imensas sem fim, tal como a volta da Ditadura Militar no Brasil ou que Che Guevara era um herói que lutava pela liberdade dos povos. Quem não nasce cego ou surdo, acaba passando por essas terríveis provações.

Logo, tem horas que alguns cagam fora do penico, uns mais, outros menos - mas no frigir dos ovos, todos acabam dando a sua participação bestial nos assuntos mais variados.

E não poderia ser diferente, quando o assunto é economia.

Para os amigos que não manjam dos paranauês de economia, essas datas festivas populares, tais como o período do Carnaval, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Natal e Ano-Novo acabam servindo de termômetro para traçar uma tendência dos rumos econômicos - pois é através da comparação do volume de vendas passadas e atuais, que a gente acaba sabendo se a coisa melhorou ou degringolou.

E esse Natal - como era de se esperar - os números foram preocupantes. Quem entende de economia, sabe exatamente a dimensão da RECESSÃO que estamos enfrentando há tempos.  
  
Mas como eu sempre digo: “a verdade é uma coisa que pode mudar, dependendo da FORMA como você a conta” - a turma da DEFESA da atual política econômica resolveu ATENUAR a situação pífia das vendas natalinas, usando as notícias divulgadas pelo próprio setor do comércio. Vejam as seguintes manchetes:  
  
“Vendas em shoppings têm pior Natal em dez anos, diz entidade
Setor viu vendas caírem 1% em relação à data em 2014 - No ano, queda foi de 2,82%, segundo a Alshop.”

  
“Vendas de Natal crescem em lojas eletrônicas e caem em shoppings - Salto do comércio virtual foi de 26%, para R$ 7,4 bilhões, diz E-bit. Os shoppings, por outro lado, tiveram o pior desempenho em 10 anos.”

Uia! Que MARAVILHA! Do que esses shoppings coxinhas estão reclamando? Perderam apenas 1% das vendas? Vocês deveriam estar comemorando, seus malditos opressores-brancos-capitalistas-racistas-homofóbicos-machistas! As vendas do comercio eletrônico cresceram 26% nesse Natal! VINTE E SEIS POR CENTO DE CRESCIMENTO, seus trouxas reclamões!!!  É golpe! Querem tirar nossa Presidenta à força!  
  
Calma, fofoletes. Vamos analisar os números?  
  
A venda pelo comércio eletrônico (ou seja, as compras online) em 2015 representou 3,5% da venda TOTAL pelo comércio. Ou seja, as LOJAS FÍSICAS ainda representam 96,5%  do total geral de vendas, pelo comércio. Sendo assim, se a venda pelo comércio eletrônico no ano foi de R$ 35,8 BILHÕES de reais, ao fazermos uma conta básica, ( aquela regrinha de três do Ensino Fundamental) - chegaremos à conclusão que o número de vendas nas lojas físicas chega a “modéstia” quantia de R$ 1,03 TRILHÃO de reais! UM TRILHÃO DE REAIS!!!  
  
Sendo assim Honolável Pequeno Gafanhoto, se a queda no comércio FÍSICO foi de 1% , isso representa uma queda na venda no período, de R$ 9,87 bilhões de reais ( e no ano, a ALSHOP disse que a queda acumulada foi de 2,82%, hein? - o que dá 27,83 BILHÕES de reais).

Sendo assim, os 1% que o comércio físico PERDEU é muito maior que os 26% que o comércio eletrônico GANHOU no período (R$ 7,4 bilhões).
   
Explicando de uma forma que vocês possam entender: 26% de um engradado de cerveja é menos que 1% de um caminhão cheio de cerveja. Estamos entendidos? Não teve ganho. Só perdas.

Juro que sou favorável a ter nota de corte do ENEM, para poder usar Facebook, Twitter ou qualquer outra rede social - para evitar que besteiras como essas se reproduzam, massivamente.   
  
Mas aí eu já seria um coxinha-direitista-reaça-branco-capitalista-opressor-racista-homofóbico-machista demais, né? 

Fábio Marchi
Um bugre que gosta de escrever.

Dê sua opinião, comente este artigo!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.