Textículo

Por que você deveria assistir (e entender) Matrix

Comente este artigo

Em 1999, dois irmãos fizeram uma obra -prima cinematográfica que entrou para a história do Cinema: Matrix (The Matrix), com Keanu Reeves no papel principal.

No roteiro criado pelos irmãos Wachowisk, em um futuro distante a humanidade vivia escravizada por máquinas: os humanos viviam em casulos - praticamente em coma induzido - e dentro desse casulo eles eram conectados à um servidor, onde lá eles imaginavam que estavam vivendo uma vida real. Em troca, a Matrix, o “sistema-vampiro” se alimentava da energia gerada pelos corpos dos humanos aprisionados, naquele mundo de ilusões.

Porém, algumas pessoas conseguiram se libertar da Matrix - e encararam um mundo real, sombrio, deserto e tenebroso. A realidade era cruel, mas no entanto eles estavam livres. No processo de libertação de humanos, um grupo de hackers invadia o sistema e, após uma entrevista com a pessoa a ser libertada, eles ofereciam duas pílulas virtuais: a azul, onde você poderia continuar a viver naquele mundo ilusório, não sendo mais incomodado dali pra frente - e a vermelha, que uma vez “tomada”, você seria desconectado do sistema e passaria a viver no mundo real.

Infelizmente, a ficção não difere muito da nossa realidade. Nós vivemos imersos em um sistema que não nos oferece muitas alternativas de pensamento: mídia, diversão, lazer, tudo parece ser absolutamente programado para que não tenhamos muitas alternativas do nosso pensar. É muito difícil pensar diferente, “pensar fora da caixa”, pois as respostas e soluções parecem já pré-programadas para o nosso uso - e pior, somos desestimulados a não pensar de forma diferente.

Quantas vezes você desejou mudar algo e foi desencorajado a não seguir em frente, “porque não vai dar em nada?”. Quantas vezes disseram para você que “sozinho, você não iria conseguir”?  
  
É a MATRIX, em ação meus amigos. O sistema desencoraja você a pensar, com seus próprios pensamentos. O sistema desestimula você a andar com suas próprias pernas. Leis absurdas, impostos, taxas, corrupção, falcatruas e gente maldosa são os bônus extras do sistema, para auxiliar a  impedir esse processo de libertação. Você passa a manter seu foco apenas em uma forma de sobreviver e viver com um certo conforto razoável - e sonhando com coisas inatingíveis, até o final da sua vida.  
  
E como sair da Matrix? Tomando a pílula vermelha, meus amigos.

Comece questionando o que já existe. Não aceite argumentos como verdades inquestionáveis. A lei é injusta? Então batalhe para mudá-la: grandes direitos como o voto feminino, a união estável, a lei Maria da Penha, o casamento gay, o Estatuto da Criança e do Adolescente e do Idoso nasceram dessas inquietações populares. Alguém diz que algo é impossível? Duvide dessa impossibilidade e crie mecanismos para tornar isso possível. Não aceite migalhas, restos, dejetos de um sistema falido. Batalhe pelo filé, pois é exatamente isso, que todos nós merecemos. Não tenha medo, fale! Não tenha medo, proteste! Viu que tá errado, denuncie! Incomode. Grite para o Mundo! Não tenha medo de ser chamado de louco, pois se existe uma coisa que o sistema tem muito medo, são os LOUCOS - pois os LOUCOS não se encaixam nos padrões da Matrix. Os "loucos" não se encaixam, em padrão algum.

E isso me faz lembrar, dessa excelente citação de Steve Jobs:

 “Aqui estão os loucos, os desajustados, os rebeldes, os encrenqueiros, os círculos encaixados no espaço do quadrado… Os que vêem as coisas de um modo diferente – eles não gostam de regras e eles não tem respeito pelo status quo… Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou difamá-los, mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los por que eles podem eles mudar as coisas… Eles empurram a raça humana para frente e enquanto alguns os enxergam como loucos, nós enxergamos gênios, porque as pessoas que são loucas o suficiente para pensar que podem mudar o mundo, são os que mudam. “ - Steve Jobs

Então, o que você está esperando, para sair da Matrix?  

Revolucione-se.

Fábio Marchi
Um bugre que gosta de escrever.

Dê sua opinião, comente este artigo!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.