Textículo

Servidor Público: A profissão mais ingrata do Mundo

Comente este artigo

Outro dia eu estava fazendo uma análise da profissão mais ingrata do Mundo - e cheguei a conclusão que, sem sombra de dúvida, é a do Servidor Público BRASILEIRO.

Duvidam? Vou explicar, as minhas razões:

O servidor público brasileiro não começa a vida como servidor - antes disso, ele é uma pessoa que sonha em fazer parte da Administração Pública, nem tanto pelo salário - mas sim, pela ESTABILIDADE. A Estabilidade estatal do serviço público ainda é o grande chamariz, para que o Governo adquira bons profissionais, que são selecionados através de concurso público - onde, à primeira vista, só passam os melhores e mais qualificados.

Porém, ser servidor público no Brasil é uma profissão repleta de armadilhas.

A primeira dela, são os GESTORES.

Os GESTORES, em sua grande maioria, são aqueles que ocupam os famosos CARGOS DE CONFIANÇA - que são inseridos e substituídos, de acordo com os prumos da política atual, naquele órgão público. Em muitas vezes, ele não precisa ter competência nem experiência, para ocupar aquele cargo - o que deixa o servidor público de carreira (aquele que enfrentou um concurso de 500 candidatos por vaga) frustradíssimo, tendo em vista que ele não faz parte de uma determinada panelinha política.

A segunda dela, a própria ESTABILIDADE.

A estabilidade, meus amigos, está a um passo do abismo negro chamado COMODISMO. E quando nos acomodamos, estagnamos, apodrecemos. Saber que nada ou ninguém te tirará dali ( a não ser que tenha cometido um crime muito grave ) depois de algum tempo de serviço público, é um tiro no pé, profissionalmente falando. A tendência do servidor - já frustrado com seus gestores apadrinhados - é ficar cada vez mais desgostoso  e relapso, com o seu trabalho. É claro, a estabilidade dá uma certa paz de espírito ao trabalhador - mas quem não está psicologicamente preparado para receber este benefício, é quem geralmente aparece nos jornais televisivos, em câmeras escondidas, maltratando e humilhando seus verdadeiros patrões, aqueles que pagam o seu salário de VERDADE: o povo - pois a “estabilidade” gera uma sensação de poder e impunidade, para as mentes fracas.

Em países desenvolvidos, como os EUA, quase não existem concursos públicos ( que só são realizados quando existem muitas vagas para uma mesma área - policiais, por exemplo ): você vai lá em uma autarquia, deixa seu currículo, faz entrevistas e se gostarem - te contratam. Os planos de carreira são bem definidos, e os “cargos de confiança” também são bem definidos, geralmente restrito à assessores pessoais e secretários. Só.
Se você fizer merda, será demitido como se estivesse trabalhando em qualquer outra empresa privada. Simples, assim. E se aparecer uma oportunidade melhor em uma grande empresa ou corporação, você não tem o DEMÔNIO DA ESTABILIDADE te azucrinando no ouvido, dizendo “não troque o certo, pelo duvidoso”, fazendo desta forma, com que você perca excelentes oportunidades profissionais no campo privado. 

E a terceira armadilha, a frase “eu tenho a vocação, de servir ao povo”.

Não há nada pior, que “servir ao povo”, psicologicamente falando. Alguns dirão que é a mesma coisa que atender à um cliente comum - mas não, não é.

O POVO, o seu cliente, é o cliente mais irritado, impaciente e exigente que você poderia ter na vida. Não, sem razão. O POVO - durante séculos -  é extorquido, humilhado e não tem quase nada de retorno, do Estado. E quando ele aparece para cobrar algo, quando ele cobra esse feedback dos seus impostos mal-geridos, ele vem putíssimo da vida.

O POVO não sabe, que o servidor público ganha mal, mas que na verdade é o SALÁRIO-MÍNIMO, o principal indexador de salários no Brasil, que é uma merda (O salário mínimo no Brasil deveria ser de R$ 3.258,16, em Setembro de 2015 de acordo com o Dieese - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

O POVO não sabe, que a maioria dos servidores públicos não tem esses luxos e regalias, evidenciadas na TV e nos Jornais, que seus gestores geralmente ostentam, quando a casa cai e todo mundo vai em cana.

O POVO não racionaliza que o servidor público, assim como ele, TAMBÉM faz parte do povo e também possui os mesmos anseios e objetivos que todos nós temos: o sonho de um Brasil próspero, justo e melhor. E que o servidor público é apenas UMA PARTE DO POVO, que faz com que o Estado funcione.

Então hoje, meus amigos, eu quero dar meus parabéns à todos vocês. A todos vocês que sofrem com seus conflitos profissionais, que vivem entre a linha tênue, entre fazer um bom trabalho e dar um foda-se para tudo - porque eu sei, meus amigos, não é fácil. Nunca foi. 

Talvez, um dia, quando TODOS NÓS pararmos para analisar melhor o Brasil como UM TODO, isso mude - e nesse dia, ser Servidor Público deixe de ser um fardo, para ser uma benção.

Até lá, vamos tentando escolher GESTORES melhores para a máquina estatal, através do voto - e perdendo o medo, na hora de denunciar os maus chefes, os maus gestores, os ladrões, os corruptos que já estão no poder. Uma hora, a gente acerta.

Para vocês, o meu respeito. 

Feliz Dia do Servidor Público. 

Fábio Marchi
Um bugre que gosta de escrever.

Dê sua opinião, comente este artigo!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.