Coroa de flores jogada ao Rio Paraguai em memória aos Mortos da Marinha em Guerra. / Imagem: Ana Marchi

O 6º distrito naval de Ladário prestou hoje (23) a sua homenagem em memória aos Mortos da Marinha em Guerra.

A cerimônia, que oficialmente ocorre na data 21 de julho, definida a partir do Aviso Ministerial nº 1.121, de 22 de setembro de 1969, foi transferida para esta segunda-feira (23) em razão do final de semana.

Matéria continua após a publicidade

A solenidade ocorreu sob o comando do Contra-Almirante Luiz Octávio Barros Coutinho, a bordo do histórico monitor encouraçado Parnaíba que, neste ano de 2018, completa 80 anos de atividades navais. 

Contra Almirante Luiz Octávio Barros Coutinho (em destaque). / Imagem: Ana Marchi

Estiveram presentes o prefeito do município de Ladário, Carlos Aníbal Ruso, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Corumbá, Evander Vendramini, o coronel da 3º Brigada do Corpo de Bombeiros de Corumbá, André Delai Rufato, o General-de-Brigada Ricardo Piai Carmona do 18º Batalhão de Fronteira, dentre outras autoridades, recepcionadas pela banda naval do 6ºDN.

Matéria continua após a publicidade

A cerimônia ratifica anualmente a importância dos homens imbuídos da noção do cumprimento do dever “até o sacrifício da própria vida” que participaram de uma série de missões em eventos bélicos, desde a indendência do Brasil, dos conflitos cisplatinos como a Guerra da Tríplice Aliança até a Segunda Guerra Mundial.

No ápice do evento, foi jogada nas águas do Rio Paraguai uma coroa de flores em memória aos mortos pelo Contra-Almirante Barros Coutinho e pelo vetereno de guerra Edson Arguelho da Silva. 

História

Em 21 de julho de 1944, a Corveta Camaquã, cujo nome homenageava o rio homônimo do Rio Grande do Sul, naufragou a caminho do Porto de Recife em operação de escolta a comboio durante a Segunda Guerra Mundial.

Corveta Camaquã, navio naufragado por submarinos italianos e alemães durante a 2º Guerra Mundial. / Imagem: Memória BN

Trinta e três (33) homens perderam suas vidas no acidente, marcando uma data na qual, flores são lançadas ao mar em homenagem a todos os marinheiros das Marinhas de Guerra e Mercante que foram mortos em guerra.

O M Parnaíba (U-17) 

O M Parnaíba é um monitor encouraçado da Marinha do Brasil. Foi construído pelo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro e incorporado à armada em Novembro de 1938 e participou da Segunda Guerra Mundial, sendo atualmente o navio de guerra mais antigo do mundo em operação.

O monitor foi modernizado em 1998 na Base Fluvial de Ladário (MS), e recebeu na ocasião incrementos operacionais que lhe conferiram maior mobilidade e autonomia.

Construído pelo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro e incorporado à armada em Novembro de 1938, participou da Segunda Guerra Mundial, sendo atualmente o navio de guerra mais antigo do mundo em operação. / Imagem: Memória BN

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos