A organização criminosa desviava documentos de imigração, conhecidos como tarjetas, e vendiam por meio de pacotes nas empresas de turismo. / Imagem: Divulgação/PF

Um policial federal, um servidor administrativo, um contratado da Polícia Federal e uma “empresa de turismo”, são alvos da Operação Caronte, deflagrada na manhã dessa terça-feira (20), pela Polícia Federal de Mato Grosso do Sul, em Corumbá – a 419 km de Campo Grande. A operação investiga a facilitação da entrada irregular de estrangeiros ao país por meio do município.

Conforme informações da assessoria de imprensa PF, empresas de turismos vendiam pacotes aos estrangeiros que desejavam entrar ao país cobrando, além do transporte até São Paulo, taxas para não precisar passar pela fiscalização imigratória, no Posto Esdras em Corumbá. Além dos despachantes das empresas, o esquema contava com a participação de um policial federal, um servidor administrativo e um contratado da PF, que facilitavam a entrada irregular.

Matéria continua após a publicidade

A organização criminosa desviava documentos de imigração, conhecidos como tarjetas, e vendiam por meio de pacotes nas empresas de turismo. Depois de vendidos, os documentos eram inseridos nos sistemas de controle, sem fiscalização. Migrantes com impedimentos ou multas tinham seus dados alterados para permitir o acesso ao território nacional e os valores cobrados pelo pacote eram diferentes de uma pessoa para outra.

Cinco mandados de prisão preventiva e seis de busca e apreensão estão sendo cumpridos por cerca de 30 agentes da PF durante toda a manhã. “Importante informar aos estrangeiros que desejam ingressar no País que os mesmos não devem pagar quaisquer quantias a servidores ou despachantes para os procedimentos de imigração. Qualquer tipo de conhecimento da população acerca da prática de crimes de corrupção, como este, bem como de tráfico de drogas, crime eleitoral, trabalho escravo, tráfico de armas, pornografia infantil, terrorismo e crime ambiental poderá ser denunciado à Polícia Federal através dos contatos: (67) 3234-7800, (67) 99131-9355 (whatsapp) e e-mail: denuncia.cra@dpf.gov.br, mantendo-se em anonimato a informação”, ressaltou a PF em nota.

Caronte – Barqueiro, personagem mitológico, que somente atravessava as pessoas para outro plano mediante pagamento de moeda que deu nome a Operação pela semelhança da corrupção praticada para permitir acesso irregular ao país.

Matéria continua após a publicidade

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos