Prints mostram conversa entre vítima e amigo. / Imagem: G1

O homem que foi preso em flagrante suspeito de estuprar a própria filha de 13 anos em Nova Olinda, norte do Tocantins, vai passar por audiência de custódia na tarde desta sexta-feira (7). Ele foi detido após a menina pedir ajuda para um amigo em uma rede social. O G1 teve acesso às mensagens enviadas pela menina.

Na conversa, a vítima afirma que sua parte íntima está sangrando após ser estuprada várias vezes. “Meu pai tá toda hora vindo e me estuprando. Me ajuda, por favor. Eu tô tentando trancar a porta [sic]”, afirma.

Matéria continua após a publicidade

O amigo diz que a menina deve procurar a polícia e ela responde: “Amanhã eu vou lá. A noite não passa”.

O caso foi registrado na madrugada desta quarta-feira (5). A adolescente foi levada para um posto de saúde, onde foram realizados exames que confirmaram o abuso. Os laudos mostraram que ela foi estuprada duas vezes entre a noite de quarta-feira e madrugada desta quinta-feira.

Durante a troca de mensagens, o amigo diz para a menina pegar uma faca e matar o agressor, mas a vítima responde: “Ele tá com arma. Me ajuda, por favor”.

Matéria continua após a publicidade

A polícia foi até a casa da vítima após o amigo fazer a denúncia. Segundo o delegado Luiz Gonzaga, responsável pelo caso, o agressor apareceu no portão enquanto tentava fechar o short que usava. A roupa estava rasgada e a genitália estava exposta.

A adolescente está sob proteção do Conselho Tutelar. A mãe dela estava no hospital na noite em que o marido foi preso. A mulher tinha dado à luz e estava com o recém-nascido em repouso.

Os conselheiros disseram para a polícia, após conversar com a vítima, que os abusos aconteciam há pelo menos quatro anos. Na casa foi encontrada uma arma de fogo calibre 32 e algumas munições. De acordo com o delegado, o pai usava o revólver para fazer ameaças de morte na tentativa de calar a filha.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos