Rodoviária de Corumbá-MS / Imagem: Site Onibuz

Depois da Seriema Transportes alegar estratégia da concorrente para ‘retirá-la de jogo’ no trecho rodoviário entre Corumbá e Campo Grande, a Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) disse que a linha passará por estudo para apurar a necessidade de nova contratação. A Seriema tinha liminar que permitia a venda de passagens para o trecho, mas desistiu.

Segundo a Agepan, esclareceu que as empresas que operam nos trechos rodoviários são detentoras de antigas concessões e que seguem atuando para que não haja a interrupção do serviço, pois enquanto isso o Estado realiza os procedimentos para analisar o sistema.

Matéria continua após a publicidade

Questionada sobre a inclusão de uma nova empresa para abrir ampla concorrência no trecho Corumbá-Campo Grande, colocando fim em um monopólio, a Agepan disse que, a licitação apenas pode acontecer com o auxílio de um Plano Diretor que já está em fase de elaboração.

“Esse reordenamento é essencial para identificar a necessidade de expansão, de alteração, de acréscimo etc, não somente em Corumbá, mas em toda a malha.  Não é possível licitar pontualmente uma ou outra linha, sem um Plano Diretor, que está em fase de elaboração para fazer todo esse mapeamento”, informou.

Plano diretor em progresso

Matéria continua após a publicidade

Revelando a necessidade de um Plano Diretor, a Agepan destacou que, no dia 11 de dezembro, foi divulgado através do DOE (Diário Oficial do Estado), na página 28, o resultado da licitação aberta para a contratação da empresa especializada para a elaboração do Plano Diretor de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros em Mato Grosso do Sul.

A vencedora do certame foi a Gistran (Gerenciamento de Informações e Sistemas de Transportes LTDA). A empresa assinará contrato com o Estado para a elaboração do Plano Diretor e o prazo previsto é de 10 meses.

“A linha Corumbá-Campo Grande e todas as demais vão passar por esse estudo, e então serão definidas contratações, com critérios sobre o tipo do serviço, quantidade de prestadoras nas linhas, prazo de vigência dos contratos, padrões de qualidade, obrigações e garantias das empresas, e uma série de outras definições que esse complexo sistema requer”, finalizou Agepan em nota.

Sem concorrência

O dono da Seriema Transportes, Edgar Cardoso, disse que a empresa optou por retirar a frota depois de estratégia da concorrente em reduzir a tarifa de R$ 125 para R$ 65. Mesmo com a liminar que permitia as atividades, o empresário afirmou que ‘não estava mais viável’ manter a frota.

Diretor da empresa Seriema, Edgar Cardoso. / Imagem: Ana Marchi

A empresa Andorinha informou, por meio de nota, que sabia apenas da liminar concedida pela Justiça à Seriema para que pudesse atuar no trecho. As promoções, segundo a Andorinha, acontecem até mesmo durante a época de maiores demandas dos passageiros.

Moradores insatisfeitos

Voltando a ter a hegemonia no transporte rodoviário entre as duas cidades, a Andorinha voltou a aplicar o preço anterior das passagens. Em plataforma online de venda de passagens rodoviárias, o ClickBus, é possível conferir, clicando aqui, que o valor das passagens entre Corumbá e Campo Grande voltaram a ser R$ 125.

Vereador Chicão Viana / Imagem: Correio Da Manhã

Chicão Vianna (SD), vereador em Corumbá, contou a reportagem que a população havia ficado muito satisfeita com a chegada de uma nova empresa para fazer o transporte dos passageiros no trecho. Ele diz que a queda no preço da passagem não foi coincidência.

Em maio deste ano, os vereadores de Corumbá fizeram um abaixo-assinado online para impedir que o processo licitatório da Agepan e que abrisse disputa da concessão do transporte intermunicipal no trecho Corumbá-Ladário-Campo Grande. O documento teve 398 assinaturas.

Com informações Midiamax

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos