O app já disponível para todos os 252 mil alunos da rede estadual de ensino.

A Secretaria de Estado e Educação ampliou nessa quarta-feira (15), o uso do MIRA, aplicativo que monitora a presença dos alunos nas escolas estaduais. Em evento que reuniu funcionários da rede pública, foi anúnciado que todos os 252 mil estudantes das 364 estaduais de Mato Grosso do Sul poderão integrar o app.

De acordo com o diretor da empresa que criou o aplicativo, Rangel Barbosa, foi produzido um vídeo de cerca de 1 hora, que funciona como um espécie de guia para os usuários. "É um guia bem intuitivo, não tem segredo, os educadores vão pegar rápido" , disse Rangel.

Matéria continua após a publicidade

Professores, pais dos alunos e responsáveis podem baixar o aplicativo gratuitamente usando smartphones, computadores ou tablets.

O app começou a ser testando em dezembro de 2016 em 15 locais de ensino do estado. A Escola Professor Emygdio Campos Vidal já realizou o teste com todos os 22 professores. "Foi um avanço de qualidade e ganho de tempo, o professor inclusive pode fazer a chamada de maneira off-line, o que facilita bastante", afirmou a diretora Fernanda Bucallon.

Segundo o governo, o aplicativo já está disponível e as escolas tem até o fim do ano para cadastrar todos os alunos e professores da rede estadual de ensino.

Matéria continua após a publicidade

Como funciona o Aplicativo? (Mira)

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente com os sistemas operacionais Android ou iOS. Ele pode ser usado por pais dos alunos, responsáveis e professores. Ao baixar o app é necessário preencher um cadastro básico e rápido. O professor faz a chamada em sala de aula utilizando o próprio aplicativo. As informações de presença e faltas ficam armazenadas no sistema, que fica aberto para consulta diária dos pais.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos