Após readequações em sua ala cirúrgica, o Hospital Naval de Ladário fez seu primeiro parto em 25 de junho deste ano. / Imagem: ASCOM/6ºDN

O nascimento ocorreu no mês passado, mas a notícia ainda vai encantar por muito tempo a população ladarense.

Matéria continua após a publicidade

No dia 25 de junho deste ano de 2019, nasceu o primeiro filho do Soldado Fuzileiro Naval, Bruno Ricardo. O menino, cujo nome não foi anunciado, quebrou um hiato de anos no município.

Sem uma maternidade pública, os nascimentos de ladarenses “legítimos” na cidade ocorriam somente com dependentes de militares na maternidade do 6º Distrito Naval. Porém, devido necessidade de readequações em sua ala cirúrgica, o Hospital Naval ficou anos sem realizar partos.

Deste modo, todos os partos eram encaminhados para a Maternidade da Santa Casa de Corumbá e, consequentemente, não nasciam mais bebês na Pérola do Pantanal. Felizmente, os cartórios permitem que os bebês sejam registrados como nascidos em Ladário… Ufa! Senão, a demografia ladarense estaria, naturalmente, comprometida.

Matéria continua após a publicidade

Maternidade Pública em Ladário: Promessa de Campanha

A construção de uma maternidade em Ladário integrou as promessas de campanha do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) que não foram cumpridas na Pérola do Pantanal. Em outubro de 2014, Reinaldo Azambuja afirmou na Associação Comercial de Corumbá, que iria construir o Hospital Regional de Corumbá e a maternidade de Ladário. A cidade aguardou o cumprimento da promessa.

Válido lembrar que em março de 2018, o Deputado Estadual Dr. Paulo Siufi (MDB), apresentou à Mesa da Assembleia Legislativa um requerimento cobrando o Governador do Estado, maiores informações sobre a construção da maternidade de Ladário.

Na sessão, o deputado solicitou ao governador as seguintes informações: se já foi aberto o processo licitatório para a construção da maternidade; e o envio da cópia do termo de convênio firmado, ou documento equivalente, onde possa ser respondido aos munícipes qual a previsão para a entrega. A resposta foi um “sonoro” silêncio.


Ladário já teve maternidade pública

A cidade já teve uma maternidade pública chamada Rigoberta Bezerra, aberta em 02 de setembro de 1991, localizada no centro, onde hoje funciona o ambulatório. De acordo com o último registro no Diário Oficial da União de 18 de abril de 2002, ela fechou durante o segundo mandato do prefeito José Francisco Mendes Sampaio (2001-2004) por falta de investimentos do governo estadual.

Por hora, a Maternidade de Corumbá, na fronteira do Brasil com a Bolívia, a única da região do Pantanal, atende grávidas de municípios vizinhos, incluso Ladário, brasileiros e bolivianos, além de populações ribeirinhas.

Por conta da distância desses locais, é comum que partos aconteçam a caminho do hospital. Em números divulgados pela Maternidade de Corumbá no ano de 2017, a maternidade realizou cerca de 7 a 15 partos por dia e, em torno de 30% à 40% dos partos realizados na maternidade da cidade, são de gestantes provenientes do município de Ladário.

Ainda que o Hospital Naval de Ladário só venha a atender dependentes de militares, já é um avanço para a cidade voltar a ter ladarenses legítimos na Pérola do Pantanal.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos