O Vitória Régia faturou o título da Liga Independente dos Blocos Carnavalescos de Corumbá (LIBLOCC) de 2019. A taça de campeã só veio no último critério de desempate estabelecido pelo regulamento da entidade que representa os blocos: o sorteio.

Vitória Régia e Clube dos Sem somaram 79,9 pontos e empataram em todos os outros quesitos. A terceira colocação ficou com o Flor de Abacate, que somou 79,3, e a quarta com o Bola Preta, com 79,1 pontos. Na quinta colocação ficou com Os Intocáveis, com 78,7 pontos.

Matéria continua após a publicidade

Foram avaliados os quesitos melodia, evolução, bateria e harmonia. Cada um dos itens teve dois jurados. Na sequência ficaram o Oliveira Somos Nós, Nação Zumbi, Afro Samba Reggae, Águia da Vila, Arthur Marinho e Praia Bola e Cerveja.

O Vitória Régia foi o último a se apresentar no sábado de carnaval de Corumbá. A campeã fechou o desfile dos blocos oficiais contando a história da Oficina de Dança, que é “cultura e tradição” em Corumbá.

Desfile

Matéria continua após a publicidade

Os blocos oficiais foram a principal atração da noite de sábado, 02 de março, do Carnaval da Alegria, Nossa Tradição de Corumbá. Cerca de 9,1 mil foliões cruzaram a Passarela do Samba, com muita animação, nas 11 agremiações que integram a Liga Independente dos Blocos Carnavalescos de Corumbá. O sábado de carnaval contou ainda com show musical no palco montado na praça Generoso Ponce.

A primeira agremiação a se apresentar foi o ‘Oliveira Somos Nós’ que levou para a avenida uma homenagem ao pescadores profissionais cantando: “que maravilha… eu sou, o pescador. Levanto bem cedinho, faço a minha oração, com chuva ou com sol essa é a minha profissão”. Em seguida veio o ‘Águia da Vila’ com samba exaltação a cidade de Costa Rica, o “encanto do cerrado”, dona de “fauna e flora exuberantes e cachoeiras caudalosas”.

Terceiro a cruzar a passarela do samba o ‘Afro Samba Reggae’ exibiu sua batida que mistura o samba carioca e o swing contagiante do reggae baiano ao trazer “o circo para o nosso carnaval”. Na sequência, o bloco ‘Praia, Bola e Cerveja’ homenageou a rainha de bateria Lucila Vitório dizendo nos versos do seu samba: “quando ela passa a galera se agita. Com a musa, a rainha consagrada na Império, a bateria faz pulsar seu coração na passarela estampada a emoção”.

Mais tradicional bloco oficial de Corumbá, o ‘Flor de Abacate’ lembrou os “100 anos de trabalho solidário” do Lions Clube. Seus componentes cantaram em uníssono: “paz e esperança para um mundo bem melhor; um abraço forte de amor e emoção. Ao Lions Clube entrego a nossa gratidão”.

Sexto a desfilar, o ‘Nação Zumbi’ homenageou a Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Mato Grosso do Sul) mostrando que “no carnaval, saúde é primeiro lugar. Cuidar do corpo, cuidar da alma, para a folia brincar”, dizia um trecho do samba.

Com o tema “50tão do Bola”, o ‘Bola Preta’ cantou as bodas de ouro do próprio bloco relembrando nomes que fizeram a história da agremiação ao longo das cinco décadas de folia. O ‘Arthur Marinho’ desfilou logo depois exibindo o enredo “Sônia Ruas, sua vida, sua arte”. Nono bloco da noite, já na madrugada do domingo, 03 de março, ‘Os Intocáveis’ provou que é “história e tradição no carnaval corumbaense”, como dizia o título de seu samba.

Penúltimo a se apresentar, o ‘Clube dos Sem’ cantou as belezas do Pantanal que encantam e atraem turistas das mais variadas partes do Brasil e do mundo. O ‘Vitória Régia’ fechou a noite.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos