Uma menina de apenas 11 anos deu à luz bebê menino na província de Tucumán na Argentina. O triste caso está gerando grande indignação no país. A criança engravidou após ter sido estuprada pelo namorado de sua avó.

A gestação foi descoberta quando ela estava com 19 semanas de gestação. O parto foi feito com 23 semanas de gravidez porque o corpo da menina não conseguiria levar a gestação adiante. Além disso, ela estava sofrendo com pré-eclâmpsia e poderia morrer.

Matéria continua após a publicidade

Segundo o registro médico anexado ao processo judicial do caso, ao falar sobre a gestação, a criança disse: “Eu quero que vocês tirem isso de dentro de mim que foi colocado pelo velho”.

A menina foi submetida a uma mini-cesárea, o bebê nasceu pesando 600 gramas e está internado no hospital Eva Perón, onde ocorreu o parto. A menina passa bem.

A ginecologista obstetra responsável pelo parto, Cecilia Ousset, relatou seu choque ao ver a menina. “Cheguei na sala de parto e me deparei com aquela menininha brincando de boneca. Minhas pernas fraquejaram, foi como se eu estivesse vendo minha filha caçula. Aquela criança não estava entendendo tudo que estava acontecendo”, contou a ginecologista obstetra em entrevista à TV TN.

Matéria continua após a publicidade

Além do fato da menina de 11 anos ter engravidado após ter sofrido um estupro, o caso também está gerando grande indignação por outro motivo. Ocorre que alguns membros do governo de Tucumán queriam que a criança mantivesse a gravidez, mesmo diante do risco real de morte. “Aqui houve grandes violações dos direitos da menina impulsionadas pelo sistema de saúde apoiado pelas autoridades”, disse a advogada Soledad Deza da ONG Católicas pelo Direito de Decidir em entrevista para a EFE.

20 Comentários

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos