O diplomata Ernesto Araújo será ministro das Relações Exteriores no governo Bolsonaro. / Imagem: Divulgação

O futuro Ministro das Relações Exteriores no governo de Jair Bolsonaro, Ernesto Araújo, anunciou nesta segunda-feira (10) que o Brasil não assinará o Pacto Global de Migração da ONU.

Segundo o chanceler, o pacto é “um instrumento inadequado para lidar com o problema”, dado que “a imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país”.

Matéria continua após a publicidade

Outros dez países se recusaram a assinar o Pacto: Áustria, Austrália, Chile, Eslováquia, Estados Unidos, Hungria, Letônia, Polônia, República Checa e República Dominicana.

Ernesto Araújo também afirmou que o governo continuará recebendo os venezuelanos, mas trabalhará para que a democracia seja restaurada naquele país.

Ele também disse que a imigração será "bem-vinda" no futuro governo, mas não deve ser "indiscriminada".

Matéria continua após a publicidade

Ainda de acordo com o futuro chanceler, é preciso haver critérios para garantir a segurança dos migrantes e dos cidadãos do país de destino.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos