A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, apesar do Sindicato dos Caminhoneiros deliberar pelo fim da greve em Mato Grosso do Sul, ainda existem alguns pontos de bloqueios em rodovias federais que vem causando problemas para os caminhoneiros que querem voltar a trabalhar. Em Ponta Porã (BR-463), Maracaju (BR-267) e Nova Alvorada do Sul (BR-267) ainda há focos protestos.

São caminhoneiros autônomos que não reconhecem a legitimidade do sindicato e pretendem manter a greve. Nesses locais, os caminhoneiros que querem voltar para as suas cidades de origem contam com o apoio da PRF para deixar o local.

Matéria continua após a publicidade

A instituição trabalha para resgatar esses motoristas dos postos e escoltá-los na estrada para que consigam deixar os postos em segurança e seguir viagem. Ameaças a caminhoneiros que querem voltar a trabalhar são relatadas por vários motoristas nos pontos de protestos. Muitos deles pediram ajuda do Exército e da PRF para conseguir deixar os postos.

O resgate começou ainda na noite de terça-feira (29), logo após a categoria definir que aceitaria a proposta do governo do Estado, que concordou em reduzir a alíquota de ICMS de 17 para 12% sobre o diesel desde que os caminhoneiros voltassem ao trabalho.

Policiais rodoviários foram acionados na noite de terça para resgatar caminhoneiros que estavam no posto da BR-262, em Terenos, que foi totalmente desocupado na manhã desta quarta-feira (30).

Matéria continua após a publicidade

Na manhã desta quarta, foi a vez dos postos Caravagio e Katia Locatelli, na BR-163, serem desocupados. No caso do segundo posto, Exército e PRF foram acionados para garantir a

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos