Um cidadão da cidade de Westford, em Vermont, nos EUA, construiu um dedo do meio gigante no terreno de casa e o iluminou em protesto contra as autoridades locais.

De acordo com o site de notícias Boston.com, o empresário Ted Pelkey, 54, tenta há 10 anos obter uma licença da prefeitura para construir uma garagem com mais de 740 m² no terreno onde vive.

Matéria continua após a publicidade

A ideia do morador é evitar o trajeto de 40 km que precisa fazer para chegar à oficina que administra com o filho: “Você pode sair da cama de manhã, tomar café, atravessar a calçada e ir trabalhar”, defende.

No entanto, para o Conselho de Revisão de Desenvolvimento de Westford, o projeto de Pelkey não atende os padrões exigidos pela cidade. Por isso, ele resolveu agir.

“Estava sentado num bar e disse para minha esposa: 'Ei, quero uma estátua de um dedo do meio e vou colocá-la no gramado'”, contou o empresário.

Matéria continua após a publicidade

E dessa vez, ele concluiu o objetivo, com uma réplica em madeira de 200 kg de um dedo do meio.

A estrutura foi colocada sobre um poste de 6 metros, no gramado da frente da casa de Pelkey. Ao todo, o empresario desembolsou US$ 4 mil com o projeto — pouco mais de R$ 15,5 mil.

Que também conta com iluminação especial no período noturno.

Ele pensou que teria que retirar a “homenagem”. Mas, como o dedo em riste não tem intuito publicitário — outdoors são proibidos em Westford, por exemplo —, ele não fere nenhuma regra oficial da cidade.

“Embora a estrutura seja visível de uma rodovia estadual, ela está fora de nossa jurisdição”, explica Jacqui DeMen, porta-voz da Agência de Transporte de Vermont

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos