A Comissão Mista do Congresso Nacional aprovou, na tarde de ontem, a proposta que eleva para R$ 1,09 bilhão/ano a compensação a Mato Grosso do Sul com a desoneração de exportação de produtos primários e semielaborados concedida pela Lei Kandir. Nos últimos 3 anos, o valor médio recebido pelo governo do Estado foi de R$ 93 milhões. Agora, o projeto será votado na Câmara dos Deputados. 

Como regra de transição, o colegiado definiu que nos próximos dois anos os valores serão menores. Em 2019, os gestores estaduais e municipais receberão R$ 19,5 bilhões e em 2020 o total será de R$ 29,25 bilhões. A partir de 2021, o valor passará a ser de R$ 39 bilhões.

Matéria continua após a publicidade

Para o relator da matéria, o senador Wellington Fagundes (PR-MT), o texto aprovado corrige distorção com os estados que mais exportam. “Votamos aquilo que achamos que é justo. Os estados que mais exportam não estão sendo compensados de forma adequada”, destacou o relator. O valor definido pelos parlamentares é dez vezes maior que o defendido pelo governo federal.

Matéria continua após a publicidade

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos