Avítima identificada como Alison Gimenes de Oliveira Alves (20), havia sido atingida por instrumento cortante em seu pescoço.

Na tarde de domingo (22) o Corpo de Bombeiros de Maracaju encontrou o corpo de um jovem, degolado, escondido em na mata numa propriedade rural da cidade. A vítima foi assassinada na estrada e o corpo foi arrastado até um buraco na mata.

De acordo com o boletim de ocorrência a polícia tomou conhecimento, por meio do Corpo de Bombeiros, de um corpo encontrado em uma propriedade rural, na rodovia mini anel, próxima a entrada da estrada da Escola Agrícola. 

Matéria continua após a publicidade

A equipe do SIG e da perícia foram acionados e constataram que a vítima, identificada como Alison Gimenes de Oliveira Alves (20), havia sido atingida por instrumento cortante em seu pescoço no meio da estrada vicinal e arrastada por cerca de 10 metros até um buraco dentro da mata no intuito de ocultar o cadáver. 

Os policiais encontraram os chinelos da vítima no lado oposto da estrada vicinal dentro da plantação de milho. O corpo foi reconhecido pela equipe policial, uma vez que Alison já tinha passagens pela polícia.

Segundo o site Maracaju Speed a Polícia Civil trabalha com a possibilidade de haver mais de um autor no assassinato, pois Alison havia sido visto na praça central de Maracaju, por volta das 22h, acompanhando de outras pessoas. Acredita-se que a sua morte tenha ocorrido 16 horas depois da ultima vez que foi visto.

Matéria continua após a publicidade

O corpo foi removido do local e encaminhado a cidade de Dourados para Perícia Criminal e os familiares que foram ao local do crime, já cobravam respostas das autoridades policiais, quanto a autoria do crime.

O caso foi registrado na Delegacia de Policia de Maracaju como homicídio qualificado por motivo fútil.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos