O pai do menino de 9 anos, baleado dentro do Colégio Adventista no bairro Jardim dos Estados, em Campo Grande, nessa quarta-feira (17), conversou com o delegado e ressaltou que não soube como a criança teve acesso a arma. Segundo ele, o objeto fica em um prédio anexo da casa, trancado em uma gaveta com chaves e a vítima não frequentava o local.

"O pai conversou informalmente na escola comigo, assim como alguns funcionários, alunos e a professora do menino. Aos 9 anos, entendemos que a criança foi vítima deste ocorrido e a investigação caminha para uma negligência. Também não ficou comprovado que ele tinha algum desentendimento na escola. Ao contrário, foi ressaltado que é um menino tranquilo", afirmou ao G1 o delegado Rodrigo Camapum, plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro.

Matéria continua após a publicidade

Os pais são médicos e a mãe estaria fora do estado, na ocasião. O pai, ainda conforme a investigação, seria também um agente de segurança. "Se for confirmado que ele é perito, será instaurado um procedimento para apurar se houve infração administrativa ou algo neste sentido", comentou a delegada Rosely Molina, Corregedora Geral de Polícia Civil.

Oo caso foi registrado como omissão de cautela de arma e será encaminhado para 1ª Delegacia ou então Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca), caso seja comprovado que a criança foi vítima do crime.

Noite no hospital

Matéria continua após a publicidade

Conforme a assessoria de imprensa da Santa Casa, o menino teve um ferimento no calcanhar. Foi necessário fazer sutura na região e, por conta do procedimento, ele passou a noite em observação no hospital. A alta médica deve ocorrer ainda nesta manhã (18), de acordo com a assessoria.

Entenda o caso

O estudante estava na aula de geografia, quando a arma disparou de dentro da lancheira. Antes, o menino teria falado para alguns coleguinhas que estava com a pistola. Ao ser ferido, ele recebeu atendimento no Hospital Proncor e depois foi levado para a Santa Casa.

De acordo com um pai que não quer se identificar, ele levou um susto na hora que foi buscar a filha de 2 anos que estuda na instituição. “Só de saber que teve um tiro dentro da escola do seu filho, é muito assustador, ainda mais depois de tantos casos que a gente vê pela TV de tiroteio dentro de sala de aula”, explica.

Na ocasião, a rua foi fechada pela polícia e na frente da escola, tinha ambulâncias e viaturas do Corpo de Bombeiros. “Teve pai que estava tremendo com toda essa situação. O que me disseram é que o garoto atingiu a própria perna com o disparo. Graças a Deus, ninguém mais ficou ferido”, afirma.

O colégio emitiu uma nota oficial:

Nota aos pais do Colégio Adventista Jardim dos Estados

O Colégio Adventista Jardim dos Estados informa que na tarde desta quarta-feira, 17, um aluno do ensino fundamental, sem consentimento e conhecimento dos pais e da própria escola, entrou com uma arma, dentro da sua lancheira. Esta, ainda ali, disparou, atingindo o membro inferior do próprio aluno.Imediatamente, foi chamado socorro médico para o aluno e os demais colegas foram encaminhados para outra sala, onde ficaram em segurança. A escola lamenta o ocorrido e está prestando a assistência necessária à criança, à família e à polícia na investigação.

A segurança e bem-estar emocional dos alunos é preocupação primordial neste momento. As aulas devem seguir normalmente a partir de amanhã. Os alunos que presenciaram o ocorrido e todos os que sentirem necessidade terão atendimento psicológico. O estado de saúde do aluno é estável e não corre nenhum risco. O Colégio está à disposição dos pais e alunos para mais esclarecimentos.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos