Reclamações, processos e denúncias de consumidores fizeram com que o deputado estadual, Capitão Contar (PSL), protocolasse o pedido de abertura da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) Energisa, para investigar e analisar os aumentos abusivos das contas de energia. Das oito assinaturas necessárias, faltam apenas duas para abrir a comissão.

O pedido do deputado, Capitão Contar, está evidenciado amplamente nas centenas de reivindicações de pessoas que estão clamando por mais transparência e investigação para saber o motivo da discrepância de valores cobrados pela Energisa nas contas de luz.

Matéria continua após a publicidade

Somente na página do parlamentar, já foram publicados em apenas três dias mais de dois mil comentários sobre o assunto, no disque-denúncia foram computadas centenas de denúncias em menos de 24 horas. Além disso, em poucas horas de petição pública online (https://peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR114146), mais de quatro mil pessoas assinaram para que fosse instaurada a CPI Energisa na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

Para quem quer apoiar a CPI e está cansado das altas em suas faturas de energia, poderá fazer denúncias por meio do aplicativo whatsapp, no número (67) 998281717, todas as informações coletadas servirão para ajudar na abertura da CPI e, posteriormente, serão utilizadas como subsídio para o relatório à Comissão.

Matéria continua após a publicidade

Os problemas relacionados ao aumento abusivo da cobrança de tarifa de energia e desrespeito aos consumidores fizeram com que a Energisa fosse eleita como a primeira empresa no ranking de reclamações do Procon/MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul), que atualiza suas informações semestralmente, registrando 1.483 reclamações até junho. A empresa ainda está com pelo menos 500 processos judiciais, segundo dados do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).
O que Capitão Contar está tentando trazer para Mato Grosso do Sul já é uma realidade em outros estados, onde a discrepância de valores das contas e a violação dos direitos dos consumidores por parte da Energisa fizeram com que parlamentares do Mato Grosso, Rondônia, Tocantins e Acre investigassem a empresa por meio de CPI’s.

Em Mato Grosso do Sul, seis parlamentares estão dispostos a abrir a caixa-preta da Energisa, são eles: Antônio Vaz (Republicanos), João Henrique (PL), Evander Vendramini (PP), Neno Razuk (PTB), Lucas de Lima (Solidariedade) e o proponente da CPI, deputado Capitão Contar. “A função do parlamentar é investigar, averiguar os poderes públicos, concessionária e o aumento da conta de energia salta aos olhos. Eu como cidadão sul-mato-grossense posso dizer que a minha conta de luz aumentou, a do meu sogro aumentou, fora os inúmeros relatos que eu recebo em meu gabinete, em minhas redes sociais e pessoalmente. Só isso já é um fato relevante para abrir a CPI. E mais: se tratam de serviços essenciais, como a água também, ou seja, ninguém pode ficar sem”, argumenta.

Contar explica que é fundamental a abertura da CPI para que possa ser investigado e analisado o valor exorbitante das contas de energia, também os medidores e a qualidade do atendimento prestado pela Energisa. “Uma pessoa que tem um salário humilde, e ela paga R$ 150, R$ 200, numa conta de energia. Isso pesa demais na qualidade de vida dessa pessoa. De repente, ela vê essa conta pular para R$ 400. É uma situação grave, valor que compromete porque tira comida das mesas das pessoas”.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos