O empresário Urandir Fernandes de Oliveira, que ficou famoso em 2010 ao mostrar em rede nacional de TV o ‘ET Bilu’, recebeu uma homenagem da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul nesta terça-feira (2). Oito anos após o episódio, que virou alvo de controvérsia e foi desmascarado por peritos à época, agora ele apresenta um documentário onde diz ter provas de que a Terra não é redonda, mas sim convexa.

‘Apenas que… busquem conhecimento’, conselho do suposto extraterrestre Bilu para a humanidade, foi seguido à risca por Urandir. Ele é responsável pela construção da vila ‘Cidade Zigurats’, em Corguinho, a 96 quilômetros de Campo Grande, e recebeu a comenda dos deputados de MS como “reconhecimento pela realização de pesquisas em diversas áreas do conhecimento como matemática, física, física quântica, astronomia, geologia, biologia, geografia e paleontologia”.

Matéria continua após a publicidade

Em entrevista, Urandir disse que, na verdade, é homenageado por duas descobertas. A primeira, segundo ele, seria de que a Terra é convexa e sobre as medidas do Sol, da Lua e das estrelas. “Não é nada daquilo que aprendemos”, garante.

Urandir é o responsável pela empresa Dakila Pesquisas, e lançou em março deste ano o documentário Terra Convexa: O Documentário. Segundo o ufólogo, foram sete anos de investigações com experimentos realizados pelo centro, junto ao CTZ (Centro Tecnológico Zigurats), contando, ainda, com profissionais de países como os Estados Unidos, Rússia, Chile, Holanda e Espanha. Segundo o grupo, os resultados comprovariam que o planeta não é esférica, ou seja, que a Terra não é redonda.

“A Terra é plana nas águas e convexa nos continentes. Temos todas as provas e refizemos junto com todos os cientistas do planeta, assim, os mais direcionados nessa área, e a constatação foi a mesma, né. A terra não é redonda. E agora nós descobrimos entre Sol, Lua e as estrelas que tudo não condiz com o que nós aprendemos. O giro, a aurora boreal. A tecnologia de hoje nos permitiu enxergar o que cientistas do passado, não. Não tinha bússola, não tinha GPS, não tinham nada e hoje nós temos, né? Principalmente esses mecanismos de foto de longa exposição. A descoberta é fenomenal. Além da parte médica, em relação ao câncer, descobrimos coisas muito interessantes que vai nos ajudar a salvar vidas”, garantiu Urandir.

Matéria continua após a publicidade

A comunidade científica não recebeu bem os ‘estudos’ de Urandir. Em entrevista ao CanalTech após o lançamento do documentário, Salvador Nogueira, autor de 11 livros, e sócio-fundador da Associação Aeroespacial Brasileira, autor do blog Mensageiro Sideral, com um canal homônimo no YouTube – confirma.

“O mais difícil às vezes é parar de rir”, declarou. “Vamos pensar comigo: se as medições que eles fizeram estão corretas, não seria difícil tirar uma foto de um prédio em Natal e um prédio em Porto Alegre; afinal de contas, se a distância é a mesma na base e no topo, como eles dizem, ambos estão no mesmo plano, e não há impedimento entre raios de luz – viajando sempre em linha reta – que partam do topo de um dos prédios e cheguem a outro”.

Sem moções na Onu

No site da Dakila, Urandir garante ter sido também homenageado pela ONU (Organização das Nações Unidas) na Câmara de São Paulo. Na verdade, no entanto, o ufólogo recebeu uma medalha oferecida pela ‘Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz da ONU’, uma entidade que não tem vínculo oficial algum com a ONU.

Conforme nota constante no próprio site da instituição, a associação que deu uma medalha para Urandir “é de direito privado e sem fins lucrativos”. O objetivo da associação é apenas “promover o encontro de ex-integrantes e integrantes das Forças de Paz da ONU onde o Brasil teve participação ou ainda participa”.

“Não representamos e nem nos intitulamos como representantes da ONU, das Forças Armadas e de nenhuma Instituição Pública, seja na esfera federal, estadual ou municipal”, informa o presidente da entidade, Walter Mello de Vargas, que é quem mantém o site da Associação no ar.

Controvérsias

Urandir é figura controversa na comunidade ufóloga do Brasil, e chegou, em 2009, a ter problemas com a polícia, sob suspeitas de curandeirismo, charlatanismo, estelionato e falsidade ideológica.

Desde os anos 90, ele mantém no município sul-mato-grossense de Corguinho o Projeto Portal, onde diz que são realizadas pesquisas sobre extraterrestres e também supostos contatos com vida fora da Terra. A estrutura de Urandir é reconhecidamente uma fonte de renda na cidade, para onde atrai turistas de todo o mundo e movimenta o setor de serviços e comércio.

Mas, foi em 2010 que Urandir ganhou projeção nacional com a ‘aparição’ do ET Bilú durante uma reportagem para a TV. No vídeo, o repórter pergunta qual seria a mensagem do extraterreno para a humanidade. E, com voz fina, ele responde: “Apenas que… busquem conhecimento”.

O vídeo foi desmentido por diversas equipes de perícia, que disseram que o ET era, na verdade, uma pessoa disfarçada.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos