O empresário Cláudio da Silva Simeão, 48 anos, foi executado a tiros de pistola 9 milímetros, por volta de 1h desta quinta-feira (15), quando chegava em casa, na Rua Patagônia com Antônio Vieira, no Jardim Bela Vista, em Campo Grande. O filho dele, Gabriel Yuri de Moura Simeão, 22 anos, também foi baleado. A vítima é um dos sócios da MPP – Mineradora Pirâmide Participações Ltda, de Corumbá. 

Cláudio, era avalista de uma dívida de R$ 40 milhões, segundo processo que corre na 12ª Vara Cível da Capital. 

Matéria continua após a publicidade

O autor da ação cobra um espólio do pai para a mãe, avaliado em R$ 39 milhões que, em valores atualizados pelo advogado, somam R$ 40,1 milhões. O filho do ex-sócio falecido de Cláudio tentou um acordo com os antigos sócios, mas sem sucesso.

Todos chegaram a dar um cheque no valor milionário para o filho, que depositou e o mesmo estaria sem fundos. Desde então, segundo a defesa, o filho tenta acordo amigável com as partes, mas sem sucesso. A ação corre na Justiça desde novembro do ano passado.

Em dezembro do mesmo ano, o juiz Atílio César de Oliveira Júnior acatou o pedido da defesa para que os empresários pagassem em até três dias a dívida na íntegra, ou 30% do valor e mais seis parcelas corrigidas pelo índice do IGPM-FGV e juros de mora de 1% ao mês, mais 10% de honorários advocatícios.

Matéria continua após a publicidade

Mesmo com a decisão de execução da dívida, os empresários não efetuaram o pagamento, sendo citados em agosto para efetuarem o depósito. No último dia 9 de outubro, a oficial foi ao endereço de Cláudio para citá-lo, mas informou que suspeitava que ele e a sócia estavam na residência ‘e se ocultam deliberadamente para não serem citados’.

Em 2008, a Mineradora Pirâmide vendeu 49% do capital social para a ArcelorMittal SA. A empresa é um conglomerado industrial multinacional de empresas de aço com sede em Luxemburgo. Em Corumbá, a Pirâmide concentra as atividades na exploração de minério de ferro e de reservas de manganês.

Conforme a Polícia Militar, Gabriel dirigia uma caminhonete Toyota Hilux e tinha como passageiros o pai e um amigo de 22 anos, quando foi interceptado na entrada do portão da garagem da residência por dois homens em um Chevrolet Onix de cor escura.

A dupla disparou pelo menos 13 tiros contra o veículo. Cláudio foi atingido por dois disparos, sendo no braço e nas costas, e morreu no local. Gabriel foi baleado e socorrido à Santa Casa. Ainda não há informação sobre o estado de saúde dele. O amigo da família foi atingido pelos estilhaços do vidro da caminhonete, mas não precisou de atendimento médico. Após a ação, a dupla fugiu e ainda não foi localizada.

Segundo o delegado Antônio de Souza Ribas, que atendeu a ocorrência, o filho havia acabado de buscar o pai no Aeroporto. Cláudio voltava do Rio de Janeiro, onde havia ido tratar de negócios. A Polícia Civil afirma que já sabe a identidade dos suspeitos. O motivo do crime não foi divulgado para não atrapalhar as investigações. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos