Por iniciativa de uma família de pioneiros em turismo na região do Passo do Lontra, comunidade localizada no Pantanal da Nhecolândia, em Corumbá, amantes da pesca esportiva se reúnem entre os dias 30 de maio e 2 de junho para celebrar o Decreto da Cota Zero, assinado pelo governador Reinaldo Azambuja em 22 de fevereiro deste ano.

O 1º Encontro Pesca Cota Zero será realizado no Passo do Lontra Park Hotel, situado na beira do Rio Miranda e distante 8 km da BR-262 (entroncamento com a MS-184). O empreendimento foi instalado nos anos de 1970 por João Venturini e hoje é uma referência em ecoturismo naquela região, que tem como forte apelo ambiental a Estrada-Parque.

Matéria continua após a publicidade

“Não se trata de um torneio, é um encontro dos pescadores esportivos com o propósito de fortalecer a cota zero, que tem todo o nosso apoio”, afirmou a empresária Marju Azambuja Venturini. “É uma lei que veio para garantir o repovoamento dos nossos rios, onde não tem mais peixe, e fomentar o turismo, gerando economia e desenvolvimento a região e ao Estado”, pontuou

Matéria continua após a publicidade

Troféu é peixe vivo

Ex-secretária de Turismo de Corumbá, Marju Venturini parabenizou o governador Reinaldo Azambuja pela medida e observou que nos rios da bacia pantaneira não se pesca mais peixe grande, com forte pressão sobre os de pequena medida, o que causa também desequilíbrio na fauna aquática. Segundo ela, 95% dos clientes do hotel já praticam o pesque-solte.

“Para o pescador o seu troféu é o peixe grande, por isso hoje todos vão à Argentina, pagando até três vezes mais um pacote, porque sabe que lá tem o peixe graúdo, como o dourado”, observou. “Estamos lutando há dez anos pelo pesque-solte, conscientizando os pescadores que nos visitam, e o governador nos escutou e tomou a medida certa”, sustentou Marju.

Proposta de futuro

O encontro dos pescadores esportivos tem o apoio de operadores de barcos-hotéis e empresas de equipamentos, além do canal Fish TV, Associação dos Pescadores Esportivos do Pantanal (APEP) e do Frigorífico Caimasul, que realizará a degustação da carne do jacaré criado em cativeiro durante o evento. A programação inclui shows com duplas sertanejas.

“Vamos nos reunir, conversar em grupos sobre cota zero, e multiplicar essa ideia, essa bandeira levantada pelo nosso governador”, afirmou João Guilherme Venturini, 19 anos, coordenador do evento. “Esse é um projeto de futuro, que queremos levar para outras regiões de pesca do Estado, criando uma consciência em favor dos nossos rios e do Pantanal”, disse.

Validade em 2020

O decreto nº 15.166, assinado pelo governador Reinaldo Azambuja, estabelece a cota zero para os peixes das bacias dos Rio Paraguai e Paraná a partir de 2020, com a proibição da captura e transporte por pescadores amadores ou esportivos. O decreto assegura ao pescador profissional a manutenção da cota de 400 quilos, além de outras alternativas de renda.

Para esse ano, conforme o decreto, a cota para a pesca amadora foi reduzida de dez para cinco quilos de pescado, mais um exemplar e cinco piranhas. As medidas apoiadas pelo trade turístico e associações de pescadores visam preservar os estoques pesqueiros, atualmente em baixa, e atrair um novo e promissor mercado de pesca esportiva em Mato Grosso do Sul.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos