Na manhã desta quarta-feira (30), um homem foi preso em flagrante durante operação da Polícia Federal, em Campo Grande, que investiga produção de material pornográfico infanto-juvenil. Segundo informações, o suspeito foi detido por armazenamento de material e foi constatado que a vítima era da família do investigado.

A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão e um de prisão preventiva, expedidos pela 5ª Vara Federal. As investigações tiveram início em setembro deste ano, após informações repassadas pela NCMED (National Center of Missing & Exploited Children) para a URCOP (Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e à Pornografa Infantil na Internet).

Matéria continua após a publicidade

O suspeito teria produzido além do material pornográfico com a criança , ele ainda teria transmitido pela internet. Após as investigações, os mandados foram expedidos e equipe da PF cumpriu o mandado de busca e apreensão.

No local foram houve a prisão em flagrante do investigado, pelo crime de armazenamento de material pornográfico infanto-juvenil. O material será investigado para possível identificação de outras vítimas.

Matéria continua após a publicidade

Se condenado, pode pegar até 18 anos de prisão. A operação foi batizada ‘Aliquid’, que significa ‘parente’ em latim e faz referência ao eventual grau de parentesco entre o investigado e a vítima, sempre sendo importante lembrar que o indivíduo que comete delitos de pedofilia não tem perfil e as famílias devem estar atentas a quaisquer mudanças de comportamento das crianças e adolescentes e procurar ajuda.

O preso foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande.

Com informações Midiamax

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos