Alunos de instituições públicas de Ensino Superior (IES) do Brasil inteiro lamentam o corte de quase 30 milhões divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) na última semana. Segundo especialistas da educação, a falta dos recursos para as entidades vai piorar a situação dentro das universidades.

No Mato Grosso do Sul, de acordo com a assessoria de imprensa, além do impacto nos projetos de extensão e bolsas de estudo, o operacional da UFMS poderá ficar comprometido.

Matéria continua após a publicidade

Recentemente, o ministro da educação, Abraham Weintraub, alegou que os cortes seriam embasados pela falta de retorno das universidades para a população em geral e, que, as universidades brasileiras viviam em clima de “balbúrdia”.

A declaração do ministro causou profunda indignação em acadêmicos e servidores das universidades públicas do Brasil, visto que, na realidade, as universidades e institutos federais respondem por mais de 95% da produção científica no país.

Ao contrário do que alegou o ministro, uma pesquisa conduzida pela Clarivete Analytics, à pedido da CAPES, demonstrou que o Brasil ocupa o 13º lugar no ranking de produção científica global. Ainda, segundo a pesquisa, entre 2011-2016 o Brasil foi responsável pela publicação de mais de 250.000 artigos científicos.

Matéria continua após a publicidade

Campus Pantanal: ensino, pesquisa e cooperação com a população pantaneira

O CPAN é um das maiores unidades da UFMS. O câmpus oferece 14 cursos de graduação e dois mestrados acadêmicos. Cerca 200 servidores, entre docentes e técnicos atuam para atender por volta de 1,5 mil estudantes.

A grande maioria dos cursos do CPAN são bem avaliados no Brasil. No mês de março, foi divulgado o Relatório de Avaliação Institucional referente ao ano de 2018 que demonstrou que seis cursos de Licenciatura do Campus Pantanal - História, Geografia, Pedagogia, Educação Física, Letras (Pt/Es) e Matemática - obtiveram nota acima da média geral do Brasil no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes em 2017.

Já o bacharelado em Direito, no Campus Pantanal, recebeu o selo de qualidade OAB Recomenda neste ano de 2019. Instituído em 2001, o Selo de Qualidade OAB Recomenda é concedido a cada três anos às instituições de ensino superior brasileiras que se destacam na formação de bacharéis em Direito de todo o Brasil.

Na Pós-Graduação, o Mestrado de Estudos Fronteiriços (PPGEF) e o Mestrado em Educação (PPGE) atendem alunos desde 2008. No ano passado, das nove dissertações defendidas no PPGEF, quatro tinham impacto direto no município de Corumbá, com temáticas cujos resultados tinham grande aplicabilidade na cidade como o estudo sobre os efeitos dos impactos ambientais em populações riberinhas, a viabilidade de implantação de cursos técnicos que atendessem bolivianos residentes na cidade, possibilidade de desenvolvimento de turismo de guerra, estudos sobre a saúde mental de usuários de entorpecentes, dentre as tantas outras dissertações defendidas nos anos anteriores.

O Mestrado em Educação tem trabalhos realizados junto ao CREIA – Centro de Referência e Estudos da Infância e Adolescência, sendo dos poucos programas no Brasil a trabalhar com Educação Social. O programa ainda conta com o Dinter, projeto que viabiliza o doutorado de professores no campus de outra instituição, no caso de professores do Campus Pantanal estudando na PUC-RJ.

Mais do que qualidade de ensino e pesquisa, os trabalhos desenvolvidos pelas universidades possuem impacto direto na população pantaneira.

Constantemente, a Prefeitura de Corumbá e a UFMS desenvolvem projetos científicos de cooperação mútua nas mais diversas áreas: Educação, Saúde, Meio Ambiente, Transporte Coletivo, Economia, Atendimento ao (i)migrante, Infraestrutura urbana, Segurança Pública, entre outros.

Os cursos de Biologia e o Geografia, em Corumbá, atuam, desde 2001, alinhados à instituições como Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Pantanal) em pesquisas, ciência, tecnologia e inovação, como, por exemplo, na utilização do campo experimental da Embrapa na Fazenda Nhumirim na região de Corumbá.

Na Educação Municipal de Corumbá, o CPAN/UFMS mantém Acordo de Cooperação firmado com a Prefeitura de Corumbá para oportunizar estágio de complementação educacional nos órgãos do Poder Executivo municipal aos acadêmicos regularmente matriculados nos cursos de graduação mantidos pela Universidade, além de proporcionar treinamento prático para o aperfeiçoamento técnico e científico e relacionamento humano de docentes, discentes e servidores de ambas as instituições.

Recentemente, o Campus Pantanal está oferecendo curso Pré-Enem gratuito para a população pantaneira, sendo o curso ministrado pelos próprios acadêmicos supervisionados pelos seus orientadores.

Além de parcerias, a injeção de recursos na economia local com salários dos servidores ultrapassa a casa dos R$ 3 milhões mensais.

Manifestação

Em razão do bloqueio das verbas e das alegações do Ministro Weintraub que provocaram uma onda de desinformação e desrespeito às instituições de ensino superior, acadêmicos de diferentes cursos do Campus Pantanal estão organizando um protesto plenamente educativo.

A proposta é conscientizar a população pantaneira sobre a importância das atividades de ensino e pesquisa que são conduzidas dentro da universidade.

Para tanto, acadêmicos realizarão uma espécie de mutirão da ciência, que, conforme diálogos, deverá ser conduzido em espaço público e aberto para a integração da população pantaneira.

O dia ainda não foi definido e deverá ser dialogado em reunião no dia 15/05, durante aula pública na Unidade I do CPAN/UFMS, localizada na Avenida Rio Branco.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos