A obrigatoriedade das presenças de profissionais das áreas de Assistência Social e de Psicologia nas escolas da Rede Municipal de Ensino, será debatida no dia 02 de julho, durante uma audiência pública na Câmara Municipal de Vereadores.

A realização foi proposta pelos vereadores Chicão Vianna e Luciano Costa que, dias atrás, entraram com projetos de lei na Câmara, versando sobre o assunto. Antes de entrar na pauta para apreciação dos demais vereadores corumbaenses, os dois preferiram ampliar o debate, durante uma audiência pública, com participação de profissionais das áreas, bem como de outros segmentos ligados ao setor educacional, entre outros.

Matéria continua após a publicidade

A proposta pela realização da audiência pública foi apresentada durante a semana passada. Será realizada no dia 02 de julho, com abertura às 17 horas, no Plenário da Casa do Barão de Vila Maria.

O vereador Chicão Vianna foi o primeiro a apresentar um Projeto de Lei que estabelece a obrigatoriedade da presença de profissionais da Psicologia na Rede Municipal de Ensino. Dias atrás, Luciano Costa também entrou com um Projeto de Lei versando sobre a obrigatoriedade das presenças de psicólogos e assistentes sociais nas escolas.

Matéria continua após a publicidade

Diante disso, os dois passaram a trabalhar uma única proposta, inclusive com a ampliação do debate. A iniciativa visa discutir a importância de profissionais dessas duas áreas, visando atuação junto às famílias, corpo docente, discente, direção e equipe técnica, com vistas à melhoria do desenvolvimento humano dos alunos, das relações professor-aluno e aumento da qualidade e eficiência do processo educacional, através de intervenções preventivas.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos