A Polícia Civil procura pelo pedreiro Wantuir Sonchini da Silva, 41 anos, principal suspeito de matar esganada a ex-sogra, Alzai Bernardo Lopes, 59 anos, na manhã de terça-feira (25), feriado de Natal. Ela foi encontrada morta pelo filho na casa onde vivia, na Rua Timbauva, Vila Moreninha II, em Campo Grande.

Conforme a delegada, Sueili Araújo Lima Rocha, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Wantuir não aceitava o fim do relacionamento com a filha de Alzai, uma auxiliar de administração de 35 anos, e já havia dito que a faria sofrer. O casal tem uma filha de 12 anos e a mulher está grávida de cinco meses. Os dois se separaram no começo de dezembro. Os três filhos de Alzai, a mulher e dois homens, estão sendo ouvidos nesta manhã na delegacia.

Matéria continua após a publicidade

Todos os indícios, segundo a polícia, apontam para o suspeito. Um bracelete de Wantuir foi encontrado na cena do crime. Conforme a delegada, a ex-mulher do suspeito já havia registrado dois boletins de ocorrência contra o autor no dia 7 e 11 deste mês. O primeiro foi por violência doméstica, quando foi agredida. O outro registro foi porque Wantuir colocou no fogo na casa da ex, ninguém ficou ferido, mas houve danos materiais. 

No dia 12, o pedreiro foi ouvido e justificou as agressões dizendo que a ex tinha um amante. Situação não confirmada pela polícia, muito menos pelas as partes envolvidas. “Ele era dependente de cocaína e toda vez que fazia uso do entorpecente agredia a mulher”, diz a delegada. A ex chegou a pedir medida protetiva, mas segundo a polícia, ele não foi encontrado para ser notificado.

Matéria continua após a publicidade

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos