Para pedir Ana Carolina Longo Azevedo, de 21 anos, em casamento, Luan Felipe dos Santos Fava, de 23, simulou a sua própria prisão por tráfico de drogas, em Coxim, no final de semana. A brincadeira teve a autorização do Comando-Geral da corporação.

Segundo o portal ‘Edição MS’, quando o casal resolveu dar uma passadinha em frente a um bar, eles se depararam com uma viatura da Rondas Ostensivas e Táticas do Interior. “Desliga o carro e desce com as mãos para cima”, repetia a cabo Eliane Dias Lima.

Matéria continua após a publicidade

Luan e Carol entenderam o recado. Como em um filme, a música do estabelecimento foi interrompida e os presentes saíram para a rua e o trânsito.

Protagonistas e coadjuvantes fazendo seus papéis, os policiais começaram a revistar os noivos. Luan sabia de tudo, claro, pois foi ele quem esquematizou tudo com ajuda dos amigos e principalmente da polícia. Mesmo assim, não escondeu o nervosismo, dando veracidade à situação.

Com os noivos, a polícia não encontrou nada. Porém, dentro do carro, um dos policiais simulou que algo ilícito foi encontrado. Foi aí que entraram os amigos do casal, perguntando o que estava acontecendo, demonstrando preocupação com a situação.

Matéria continua após a publicidade

Um deles, que é advogado, tentou intervir, mas foi orientado a acompanhar a ocorrência na delegacia. Ao ser avisado pela cabo que estava preso, Luan foi algemado para desespero de Carol, que nada sabia. A surpresa veio quando ele foi conduzido para o camburão. Bruno, o amigo policial que comprou a ideia, tirou as algemas de Luan para que ele pudesse pegar o buquê de rosas e as alianças que estavam guardadas dentro da viatura.

Antes de partir para o pedido oficial, ele ainda brincou: “dá tempo de fugir?”. Não dava Luan. Você precisava acalmar o coração da sua amada, que em nenhum momento te renegou. Durante a tensão, os policiais perguntaram se Carol conhecia Luan e ela não pensou duas vezes: “claro, é meu namorado”, respondeu.

Ao voltar para o cenário da prisão com as flores, Carol desabou e recebeu o pedido oficial após seis anos e sete meses de namoro. Os clientes do bar não deixaram por menos e aplaudiram o casal, logo depois da noiva dizer sim. Joyce Bethânia, cantora da noite, embalou os apaixonados, que curtiram a noite no bar, com familiares e amigos. Segundo o noivo, o casamento deve sair em setembro de 2020, com festa e tudo.

Para a Rotai, participar do pedido de casamento é uma forma de aproximar a polícia da comunidade. Os policiais convivem com a sociedade, estão inseridos em nosso meio e fazem parte do dia a dia dos cidadãos. Não é a primeira ação social que policiais do 5º Batalhão da Polícia Militar contribuíram, inclusive, várias delas tem sido pautas dos principais jornais da região norte de Mato Grosso do Sul.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos