A Justiça Federal condenou ex-servidor Jedeão de Oliveira a 41 anos, 3 meses e 8 dias de prisão no processo que o acusa ter desviado dinheiro apreendido dos cofres da 3ª Vara Federal Criminal de Campo Grande. A sentença do juiz Dalton Igor Kita Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande, é desta sexta-feira (30).

Jedeão foi por 21 anos funcionário de confiança do juiz Odilon de Oliveira, hoje aposentado, mas que comandava a 3ª Vara. Ele responde a um total de 26 acusações de peculato e admite ter cometido um crime, "fraudado um documento", nas palavras do advogado dele José Roberto Rodrigues Rosa, conforme matéria publicada pelo Campo Grande News no dia 16 de agosto.

Matéria continua após a publicidade

O ex-servidor chegou a tentar um acordo de delação premiada, mas o MPF (Ministério Público Federal) negou.

A ação também cobra R$ 10,6 milhões de Jedeão, mas o juiz deu decisão parcial em relação às acusações. O ex-assessor foi absolvido de três acusações.

As condenações são baseadas nos artigos 312 e 327 do Código Penal, que consideram criminoso o funcionário público que comete crime quando desvia dinheiro ou qualquer bem para o bem próprio. 

Matéria continua após a publicidade

Pela decisão, Jedeão também terá de pagar 196 dias-multa em valor correspondente a 1 trigésimo do salário mínimo vigente na época que ocorreram os crimes. O valor não foi calculado.

A reportagem tentou contato com o advogado do réu, mas ele não atendeu as ligações. Como se trata da primeira decisão, a defesa ainda poderá recorrer.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos