Quem vê a pequena Taynara Silva (22) e seu rosto tímido, se engana. Por trás do porte pequeno e do sorriso de menina, se esconde uma lutadora das grandes. Atleta desde criança,Taynara contou à este Correio que entrou no esporte aos 09 anos de idade pela vontade de perder peso já que, quando criança, ela era considerada muito gordinha e sedentária. Iniciando pelo Taekwondo, ela se formou faixa preta no ano de 2012, hoje sendo professora desta categoria de luta. Mais tarde, seu interesse recaiu sobre o MMA.  

As Artes Marciais Mistas (AMM), mais conhecidas pela sigla MMA (do inglês: mixed martial arts) são artes marciais que incluem tanto golpes de combate em pé quanto técnicas de luta no chão. Taynara estreou no MMA em 2016, e hoje conta com quatro lutas, sendo duas vitórias e duas derrotas. Três dessas lutas foram em solo corumbaense, sendo uma na capital, Campo Grande. 

Matéria continua após a publicidade

 Apesar de avanços para as mulheres no mundo das artes marciais mistas, tanto dentro quanto fora do octógono, ainda há o que se evoluir para que as condições sejam iguais ao mundo masculino. Taynara diz que se orgulha por ser a representante feminina de Corumbá, porém que ainda há muitos percalços que ela deve enfrentar, sobretudo em relação ao patrocínio.

Considerado muitas vezes como "comportamento de homem", as mulheres enfrentam muitas barreiras para alcançar o estrelato nos ringues. O machismo no mundo das lutas é reflexo da sociedade, de uma maneira geral, que dita quais lugares pertencem ou não às mulheres. Essa desigualdade acarreta em prejuízos como: menos investimentos, falta de campeonatos específicos para as mulheres e falta de patrocínio.

Matéria continua após a publicidade

Eu acho que o espaço das mulheres no MMA vem crescendo cada vez mais, e o próprio interesse do público feminino nas lutas é maior. Porém, ainda esbarramos na falta de investimentos. Muitas empresas preferem patrocinar competidores masculinos, por não confiar na luta de uma mulher.

Taynara Silva, lutadora de MMA

Mas Taynara vem se provando cada vez mais uma das grandes esportistas de Corumbá, e seu próximo desafio será na tarceira edição do Bonito Eco Fight nesta sexta-feira (24), onde ela desafiará a lutadora Edna Trakinas, de quem já venceu uma vez. Em Bonito, serão 12 Lutas de MMA profissional , sendo 5 disputas de cinturão e 5 lutas femininas. 

Taynara já estendeu seus dominíos pelo campo internacional, pois lutará em breve também em Santa Cruz, na Bolívia. A jovem corumbaense almeja cada vez mais espandir o território estadual, alcançando notoriedade tanto no país quando lá fora. 

Esporte como grande aliado da Educação

É consenso entre os orgãos de proteção a criança e o adolescente que a educação é a maior ferramenta de combate ao envolvimento de menores na criminalidade. Neste quesito, as artes marciais como o Judô, o Karatê, Jiu jitsu, dentre outras, agem como uma ferramentas em favor da Educação, ministrando a disciplina do aluno, além do incentivo nos estudos cotidianos. O esporte se torna também o maior destaque no afastamento dos jovens dos entorpecentes, pois requer uma vida saudável sobretudo para competirem. 

Das maiores críticas contra o MMA é sobre sua violência nos ringues. Porém, especialistas garantem que falar que o MMA é um esporte violento esbarra em equívocos de interpretação, relacionados a preconceitos contra as lutas esportivas. Na verdade, o boxe, o muay thay, o karate, o jiu jitsu, e muitas outras lutas esportivas, já foram confrontadas por essas insinuações e tiveram que provar o seu valor na formação global do indivíduo. Não está sendo diferente com o MMA, que passa por um processo evolutivo, onde fundamenta sua filosofia em princípios modernos de ética e cidadania (muitas tiradas das artes milenares que lhe dão origem) e estabelece regras, aparatos médicos, equipamentos de proteção e treinamentos científicos que cada vez mais validam sua configuração definitiva como luta esportiva.

Para o professor de educação física do Ginásio Olímpico do Rio de Janeiro, o MMA é o esporte que atingiu o último nível de excelência no agonismo corporal por se valer da luta de chão, da luta em pé e de suas transições. Atingiu o mais elevado patamar do confronto autorizado. Falo de confronto autorizado, pois ao contrário do que afirmam os “menestréis do apocalipse”, MMA não é violência e pancadaria. É luta esportiva no seu mais avançado grau de perfeição, pois, conforme disse anteriormente, exige de seus praticantes, a totalidade de preparação para um confronto real.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos