Conecte-se Conosco!

Capital

Macaco é encontrado na zona rural de Campo Grande e Sesau investiga suspeita de febre amarela

Publicado

em

As investigações serão feitas através do monitoramento da área onde o animal foi encontrado. / Imagem:arquivo

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) iniciou uma investigação para determinar a causa da morte um macaco encontrado na última terça-feira (7), na zona rural de Campo Grande. O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) foi acionado por um morador da região, que fica situada na saída para Sidrolândia. As investigações serão feitas através do monitoramento da área onde o animal foi encontrado.

A investigação conta com a atuação do CCZ, CVE (Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Capital) e do Estado. De acordo com a veterinária que está na apuração dos fatos, Cláudia Granja Macedo, gerente técnica do Serviço de Controle de Raiva e Outras Zoonoses, as condições do corpo do animal impossibilitam a realização dos exames necessários para indicar a causa da morte.

“Não se sabe exatamente a hora da morte, então, como ele chegou aqui no [Centro de Controle de] Zoonose em avançado estado de decomposição, não será possível fazer a coleta de material para encaminhar para os exames”, contou.

Macedo explicou que a coleta de material deve ser feita em até 8 horas após a morte do macaco, para que os exames sejam realizados posteriormente dentro de um prazo máximo de 24 horas.

Na falta dos exames, a veterinária explicou que a investigação será feita através do monitoramento da área. “Iremos fazer a coleta de informações e notifica o serviço de vigilância Estadual”, disse. Neste processo, a equipe do CZZ irá entrar em contato com a pessoa que encontrou o animal além de orientar a população sobre a importância de avisar o órgão caso mais algum macaco seja encontrado morto na região. O trabalho deve ser feito por tempo indeterminado.

“Qualquer macaco encontrado morto já considerado suspeito. Então, iremos monitorar sempre. Nosso trabalho principal agora é de orientação da população no sentido de que caso vejam mais algum primata morto ou doente, comuniquem a gente o mais rápido possível”, disse.

Apesar do monitoramento, a veterinária afirma que não há necessidade para pânico. “Não é motivo para preocupação já que grande parte da população já é vacinada”, afirmou Macedo.

A vacinação é visto como um fator positivo na Capital já que o Estado é uma região endêmica e a vacina contra a doença já faz parte do calendário vacinal de adultos e crianças, conforme explicou a coordenadora da CVE, Mariah Barros.

“Diferentemente de outros estados como São Paulo e Rio de Janeiro, eles, no passado, não faziam vacinação de febre amarela porque eles não são tidos como regiões endêmicas. Aqui, essa vacinação sempre foi feita e faz parte do nosso calendário vacinal”, explicou.

De acordo com a coordenadora, não há necessidade de iniciar uma campanha de vacinação devido à distribuição nas unidades de saúde do município. Além deste fator, Barros explicou que após os casos da doença em outros estados, no início deste ano, foi feito um reforço na vacinação em áreas rurais da Capital. “É a primeira população que a gente pensa é da área rural, então, já passamos por ela, fazendo a vacinação em torno de Campo Grande”, comentou. Conforme a coordenadora, a Capital conta com uma boa cobertura vacinal contra a doença.

A única preocupação agora, segundo Barros, é a de orientação à população sobre quem deve ser vacinar, como precaução. “As pessoas que não são daqui, que moravam em outros estados e vieram pra cá e que, por ventura nunca tenham se vacinado para a febre amarela, que procurem uma unidade de saúde e façam a vacinação. Não há necessidade de deflagrar uma campanha, apenas orientar as pessoas”, afirmou a coordenadora.

A imunização pode ser feita em todas as UBS (Unidades Básicas de Saúde) da Capital e a aplicação funciona de acordo com um cronograma devido a validade de 8 horas da vacina após aberta.

A doença

Conforme a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), a febre amarela é uma doença infecciosa grave e é causada por vírus, transmitida pelos mosquitos. A espécie Haemagogus é responsável pela transmissão em áreas florestais enquanto nas áreas urbanas, o vírus pode ser transmitido pelo Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue, zika e chikungunya.

A infecção só ocorre se uma pessoa, que nunca teve ou nunca se vacinou contra a doença, for picada por um mosquito infectado. Não há transmissão do vírus de uma pessoa para outra. A vacinação contra a doença é feita em dose única.

Deixe seu Comentário!

Comentários neste Artigo

*ATENÇÃO*: Os comentários deste artigo são gerenciados pelo Facebook, que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza, por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores.

Política

TSE pede que governo mude início do horário de verão de 2018 devido às eleições

Publicado

em

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quer que o governo federal mude a data do horário de verão do próximo ano. Em encontro com o presidente Michel Temer, nessa quinta-feira (16), no Palácio do Planalto, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, entregou um ofíciosolicitando que em 2018 o horário de verão comece após o segundo turno das eleições gerais. Normalmente, o horário de verão começa no mês de outubro.

Em nota divulgada em seu site, o TSE explica que “a razão do pedido é garantir que os diferentes fusos horários existentes no Brasil, acentuados pela mudança de ponteiros que tradicionalmente ocorre nos meses de verão nas regiões do Centro-Sul do país, não causem atrasos na apuração dos votos e na divulgação do resultado das eleições”.

De acordo com o TSE, o Código Eleitoral determina dia e hora em que as eleições ordinárias devem ocorrer: “O primeiro turno deve ser das 8h às 17h do primeiro domingo do mês de outubro, e o segundo turno, no mesmo horário do último domingo do mesmo mês.” Mas por causa dos quatro fusos horários do país, o início e o encerramento da votação não ocorrem de maneira simultânea em todo o território nacional, diz o órgão eleitoral.

Segundo o tribunal, por causa dos fusos, o horário de verão agrava o problema do início e fim da votação das eleições ordinárias. “Por exemplo, as urnas no Acre são fechadas três horas depois de a contagem de votos já ter sido iniciada nas regiões Sul, Sudeste e parte do Centro-Oeste”.

“No caso de eleições estaduais, esse aparente descompasso não causa problemas. Contudo, em se tratando de uma eleição geral como a do ano que vem, com votação para presidente da República, essa diferença de horário pode confundir o eleitor e provocar um aumento no número de abstenções de voto”.

O TSE informa ainda que o pedido de mudança no início do horário de verão de 2018 também foi encaminhado para o Ministério de Minas e Energia.

Leia a matéria completa

Mundo

Piloto é suspenso por desenhar pênis em manobra aérea

Publicado

em

por

Piloto desenhou pênis no céu em manobra militar / Imagem:Reprodução

SEATTLE - A Marinha dos EUA suspendeu um piloto que usou suas manobras aéreas para desenhar um pênis no estado de Washington, no extremo Oeste do país, na quinta-feira. A instituição naval chamou o episódio de "absolutamente inaceitável" e ordenou a abertura de investigação após imagens do desenho serem compartilhadas por todo o mundo.

O incidente aconteceu no condado de Okanogan. Comandantes da Estação Aérea Naval de Whidbey Island ordenaram um inquérito após suspenderem um dos pilotos que usou um de seus Boeing EA-18G Growlers.

— De um ponto de vista naval, mantemos nossas equipes nos mais altos padrões, e isso é absolutamente inactreitável. Tem zero valor de treinamento — criticou o porta-voz Stephen Mills à BBC.

Ao "Buzzfeed", representantes chamaram o ato de "imaturo e irresponsável" e pediram desculpas pelo incidente.

Leia a matéria completa

Geral

Campeonato de bandas e fanfarras acontece neste sábado (18), confira as apresentações

Publicado

em

por

Competição terá representações de quatro cidades sul-mato-grossenses e uma de Mato Grosso / Imagem:PMC

A primeira edição da Copa Pantanal de Bandas e Fanfarras da Juventude, que será realizada neste sábado (18), em Corumbá, terá a participação de 20 agremiações representando quatro cidades sul-mato-grossenses e uma de Mato Grosso. A competição será no ginásio poliesportivo da rua Porto Carrero, a partir das 15 horas. A entrada é um quilo de alimento não perecível.

A competição terá três categorias. A primeira a se apresentar será a Banda de Percussão Coreografada Juvenil (de 08 a 16 anos), com quatro participantes. Logo depois será a vez dos seis representantes da categoria Banda de Percussão Marcial. A disputa será encerrada pelas 10 representações que buscam o título da Banda de Percussão Coreografada Sênior (de 17 a 32 anos).

A Copa Pantanal ainda terá participações especiais de bandas de percussão da APAE, da Escola Municpal Rachid Bardauil e do Colégio Salesiano Santa Teresa. Serão as responsáveis por abrir a competição.

O regulamento estabelece que a apresentação de cada banda será livre, desde que cumpra rigorosamente o tempo de 15 minutos de exibição. As notas serão de 05 a 10 com a possibilidade de ser fracionada em décimos. Serão premiados, em cada categoria, os seguintes quesitos: musicalidade, coreografia, baliza, mor, regente, corpo coreográfico e o campeão geral.

O evento tem como objetivos estimular a organização de Bandas e Fanfarras; contribuir para a formação social; formação cultural e artística; desenvolver espírito de equipe; contribuir para o desenvolvimento do espírito de responsabilidade e respeito individual e comunitário.

A Copa Pantanal de Bandas e Fanfarras da Juventude é uma realização da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Especial de Cidadania e Direitos Humanos através de sua Coordenadoria de Políticas Públicas Para Juventude. Conta com apoios da Associação de Instrutores de Bandas e Fanfarras de Corumbá, Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá, Fundação de Esportes de Corumbá (Funec) e Secretaria Municipal de Educação. Confira a ordem das apresentações:

Banda de Percussão Coreografada Juvenil

1-Banlampc (Corumbá)

2-Gabriel Vandoni de Barros (Corumbá)

3-CAIC (Corumbá)

4-Autoria (Corumbá)

Banda de Percussão Marcial

1-Fanjab (Ladário)

2-Cejar (Aquidauana)

3-Cândido Mariano (Aquidauana)

4-Cristo Redentor (Corumbá)

5-Marquês de Tamandaré (Ladário)

6-Bampas (Cuiabá)

Banda de Percussão Coreografada Sênior

1- Bamperez (Corumbá)

2-Carlos de Castro Brasil (Corumbá)

3-Banisam (Ladário)

4-Barão do Rio Branco (Corumbá)

5-Fernando de Barros (Corumbá)

6-Carlos Drummond de Andrade (Anastácio)

7-Octacílio Faustino da Silva (Corumbá)

8-Pérola do Pantanal (Ladário)

9-Gigantes de Aço (Corumbá)

10-Arcanjo (Corumbá)

Leia a matéria completa

As Mais lidas da semana