Um pedreiro de 43 anos foi preso em flagrante por ser suspeito de estuprar as duas enteadas, uma de 9 e outra de 10 anos, dentro de casa, em Pariquera-Açu, cidade do Vale do Ribeira, interior de São Paulo. O crime foi denunciado pela mãe das menores, que encontrou imagens pornográficas no celular do companheiro.

A denúncia foi feita na noite de terça-feira (29), após a mãe das crianças acionar a Polícia Militar momentos depois de mexer no celular do companheiro. Na galeria de fotos, ela achou duas imagens de cunho pornográfico, em que tanto as filhas quanto o homem apareciam.

Matéria continua após a publicidade

Segundo a polícia, as imagens encontradas no celular não deixam dúvidas quanto às acusações. De acordo com informações, o homem aproveitava enquanto as meninas estavam dormindo para praticar os abusos e, ao mesmo tempo, registrar fotos da situação.

Ainda de acordo com a polícia, no mesmo dia em que as fotos foram encontradas, segundo o relato da mãe aos policiais, uma das crianças relatou que, após sair da escola, o padrasto teria passado as mãos em seus órgãos genitais por cima da roupa.

Os PMs encaminharam as crianças, a mãe e o homem para a Delegacia Sede do município. Lá, tudo foi relatado ao delegado de plantão, Fábio Américo Maia, que prendeu o homem em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável.

Matéria continua após a publicidade

Além disso, o pedreiro também responderá por infringir dois artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): o de armazenar fotografias pornográficas de menores, e de acariciar os órgãos de uma delas. Todos os crimes são inafiançáveis.

O homem foi levado para a Cadeia Pública de Jacupiranga, cidade vizinha, também no Vale do Ribeira. Já as crianças foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML), onde passaram por exame de corpo de delito.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos