A Polícia Federal vai investigar denúncias feitas por Jedeão Oliveira, ex-assessor do juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT), sobre possível venda de sentenças e manipulação de bens apreendidos quando este era titular da 3ª Vara Federal em Campo Grande. A determinação partiu do Ministério Público Federal no Estado.

A informação foi confirmada pela assessoria do MPF. A decisão do procurador da República, Marcos Nassar é do dia 5 de setembro.

Matéria continua após a publicidade

Jedeão atuou por 22 anos na Justiça Federal com Odilon. Há cerca de um mês, ele denunciou o ex-chefe e o acusa de vender sentenças judiciais e manipular dados sobre bens apreendidos naquela vara.

O ex-funcionário foi acusado de desviar R$ 11 milhões do cartório da justiça federal. Ele foi exonerado a pedido de Odilon e está próximo de ser julgado. Por isso, foi ao MPF entregar as denúncias e tentar fechar acordo de colaboração premiada.

No entanto, naquele momento, o MPF disse não haver provas para fechar delação premiada com Jedeão, mas prometeu analisar as informações repassadas por ele. A Procuradoria então enviou as denúncias para a Polícia Federal, que no dia 31 de agosto, divulgou que não investigaria o pedetista.

Matéria continua após a publicidade

Agora, nesta segunda-feira (17), o procurador informou que diante da gravidade das denúncias e  a repercussão nacional que tiveram, ensejam abertura de investigação. Além disso, outro fator decisivo para a medida, foi o pedido que Odilon de Oliveira fez à PF para investigá-lo e assim não pairar qualquer dúvida sobre ele.

O procurador Nassar destaca que, caso haja falsidade nas informações dadas por Jedeão, ele poderá ser punido por denunciação caluniosa.

Denúncias

Conforme documento registrado em cartório de Bauru (SP), Jedeão o acusa de inventar bens apreendidos e manipular autorização para fazer escutas ilegais na vara.

Jedeão disse que algumas ameaças ao juiz aposentado eram super dimensionadas, a fim de chamar a atenção da mídia e criar a figura de um super-herói. No entanto, garante que outras intimidações eram reais.

Outra grave acusação, conforme denúncia registrada por Jedeão, é de que Odilon vendia sentenças judiciais. No primeiro caso que registrou, ocorreu em uma operação para combater crimes contra o sistema financeiro. Várias casas de câmbio tiveram documentação e dinheiro apreendidos.

No entanto, uma delas era de um amigo do filho de Odilon, que pediu e teria conseguido restituir os valores ao amigo.

Odilon de Oliveira, em nota, rebateu todas as acusações e garante que Jedeão o acusa por ter sido exonerado da Justiça Federal, acusado de corrupção, e por questões eleitorais, já que é candidato ao governo do estado pelo PDT.

Ainda de acordo com nota, divulgada no site do PDT-MS, ''a palavra do juiz Odilon não será medida na mesma balança em que se medem as palavras de pessoas que têm contas a prestar à sociedade e são devedoras da lei''.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos