Com frieza e sem demonstrar arrependimento, o peão de fazenda Felipe Castro Souza, de 23 anos, contou em depoimento que assassinou a pedradas a adolescente de 15 anos, no Jardim Tijuca, no dia 29 de maio, depois da garota ameaçar contar sobre a traição à namorada do ajudante de fazenda.

A delegada da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) Fernanda Félix disse que Felipe foi encontrado 48 horas depois do crime pela polícia em uma fazenda em Terenos, onde trabalha como ajudante.

Matéria continua após a publicidade

Quando preso, ele não teria esboçado nenhuma reação, dizendo que já esperava pela chegada da polícia. Durante o depoimento feito à delegada, Felipe disse que conheceu a vítima em uma festa na casa de amigos no mesmo bairro.

Durante a festa todos ingeriram bebidas alcoólicas e ele ainda teria consumido drogas na casa. Na versão que apresentou à polícia, ele disse que os dois saíram do local de bicicleta e foram até o matagal, onde o corpo foi encontrado, e lá mantiveram relações sexuais.

Segundo o ajudante, o sexo teria sido consensual, mas a polícia não acredita nesta versão.

Matéria continua após a publicidade

Após o ato sexual, a garota teria dito ao autor que ela queria que namorassem e que, se ele recusasse, iria procurar a namorada dele para contar sobre a traição. Ainda segundo o depoimento do ajudante de fazenda, a adolescente teria dito a ele que era portadora do vírus HIV.

Enfurecido, o autor disse que asfixiou a vítima e em seguida deu pedradas na sua cabeça, deixando seu rosto desfigurado. Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que os dois deixam a casa.

As imagens e mais o boné do autor deixado no local do crime ajudaram em sua identificação e localização. Ele será indiciado por feminícidio qualificado por motivo torpe que dificultou a defesa da vítima e estupro.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos