Corumbá - Uma equipe da Polícia Militar Ambiental de Corumbá realizava fiscalização no rio Paraguai no município na noite de sgeunda-feira (08), tendo em vista que os pescadores clandestinos pescam mais neste período, quando depararam com duas embarcações, cada uma com um pescador.

No momento que percebeu a fiscalização, um dos pescadores virou seu barco, tendo em vista que havia uma geladeira cheia de peixes capturados ilegalmente, na tentativa de fugir do flagrante. Ao virar a embarcação, a geladeira caiu por cima do pescador, de 33 anos, que começou a se afogar. Rapidamente os Policiais o puxaram para a embarcação da PMA.

Matéria continua após a publicidade

Os materiais afundaram, inclusive, a embarcação com o motor não foram mais encontrados. Os Policiais conseguiram resgatar uma saca com 5 kg de peixes, antes que afundasse. Vários exemplares na saca apresentavam-se abaixo da medida permitida pela legislação. Havia muito mais peixe na geladeira, porém, não foram resgatados.

O outro pescador (38) não reagiu à abordagem. Com ele foram apreendidos: um isopor com 44 kg de pescado, havendo vários exemplares abaixo da medida permitida, além do barco e motor de popa. Várias boias (petrechos proibidos) foram apreendidos.

Os dois pescadores profissionais, residentes em Corumbá, receberam voz de prisão e foram encaminhados, juntamente com material apreendido, à delegacia de Polícia Federal de Corumbá, onde eles estão sendo autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória. Eles poderão sair depois de pagarem fiança. A pena para o crime é de um a três anos de detenção.

Matéria continua após a publicidade

A PMA também lavrou auto de infração administrativo e aplicou multa total de R$ 2.380,00 contra os autuados. O pescado será doado para instituições filantrópicas depois de periciado.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos