Amapaense Vinícius Chagas Maciel foi linchado e enforcado em praça na Bolívia, / Imagem: Arquivo Pessoal

O casal, formado por Javier Flores Revollo e Juana Choque Cruz, foi preso nesta quinta-feira (29) pela polícia de Santa Cruz de La Sierra. Eles acusaram o brasileiro Vinícius Maciel de tentativa de roubo e o ato teve como consequência a morte do amapaense, que foi linchado e enforcado em uma árvore na principal praça do povoado de San Julian, na Bolívia. A prisão foi noticiada por jornais bolivianos.

Após o assassinato do amapaense, ocorrido no dia 19 de novembro, os dois foram convocados a testemunhar sobre o caso, mas não compareceram e eram considerados foragidos. A polícia boliviana emitiu, então, o mandado de prisão.

Matéria continua após a publicidade

Segundo a imprensa internacional, o casal se apresentou espontaneamente na Força Especial Anti-Crime, onde foram presos. A polícia considera o depoimento deles fundamental para identificar as pessoas que mataram Maciel. O crime foi filmado e publicado em redes sociais. Ainda segundo a polícia boliviana, o casal e familiares deles aparecem nos vídeos do linchamento.

No Amapá, a família do amapaense aguarda com angústia o desfecho do caso e pede justiça. Ainda não há previsão para o traslado do corpo ao Brasil.

Matéria continua após a publicidade

“O corpo ainda se encontra em Santa Cruz e nós ainda estamos verificando a possibilidade de depositar o dinheiro [R$ 15 mil] para que a funerária providencie o traslado. Ainda não conseguimos arrecadar todo o valor”, falou Irani Maciel, tia de Vinícius, completando:

“A única ajuda real que tivemos foi da prefeitura de Santana. Vamos contabilizar tudo que conseguimos arredar amanhã [30], mas acredito que falta pouco. Estamos acompanhando daqui e queremos esclarecimentos e que a justiça seja cumprida”.

Representante do Conselho Federal da OAB no Amapá e membro da Comissão Nacional de Direitos Humanos, o advogado Maurício Pereira informou que as entidades cobram providências do governo boliviano.

“Através da Comissão Nacional de Direitos Humanos e da Comissão de Direito Internacional, estamos dando suporte jurídico para a responsabilização dos autores do crime. Temos informações que são 10 envolvidos no linchamento e enforcamento. Hoje foi preso o casal que acusou e incentivou o crime e vamos cobrar que eles sejam punidos”, pontuou.

Ainda sobre o traslado do corpo, na terça-feira (27), o Consulado do Brasil em Santa Cruz de La Sierra pediu às autoridades bolivianas que entregassem o corpo do brasileiro. A entrega já foi feita, mas os custos do processo são por conta da família.

Em nota, o Governo Federal detalhou que “não há previsão legal para o pagamento” do traslado do corpo. “Quando um cidadão brasileiro falece no exterior e sua família opta por trazer seus restos mortais ao Brasil, os Consulados brasileiros sempre procuram apoiar, mediante expedição de documentos (atestado de óbito, por exemplo), orientação à família e, eventualmente, contato com autoridades locais para tentar agilizar trâmites”.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos