O policiamento militar comunitário surgiu nos anos 70, no Canadá e em Londres, com a proposta de fazer com que toda a população participasse das políticas de segurança pública da comunidade. Esse projeto chegou ao Brasil tendo como princípios, políticas de prevenção e integração entre os órgãos policiais e os cidadãos.

O trabalho policial fica mais viável quando a comunidade contribui para fornecer informações relevantes sobre os casos, como denunciar suspeitos de um crime ou apontar lugares de riscos. Podemos concluir que a cidadania não é plena sem a participação da sociedade.

Em Corumbá e Ladário, o 6º Batalhão da Polícia Militar já adota essa postura, o que vem trazendo um saldo positivo para ambas as cidades. 

Matéria continua após a publicidade

O policiamento comunitário é uma modalidade de policiamento, não necessariamente uma tropa dentro da PM, mas um trabalho desenvolvido por todos os policiais militares que tem como base o pressuposto que segurança não é responsabilidade somente da polícia. A segurança social envolve também a participação de cada pessoa da comunidade, auxiliando na segurança de seu bairro. Nesse quesito, a própria comunidade aponta os problemas de seu bairro ao policial, o que vem otimizando nossos serviços em Ladário e Corumbá, gerando confiança recíproca entre o policial e o cidadão. 

Tenente Coronel Massilon de Oliveira Silva Neto

Segurança nas festividades de final de ano

O 6º Batalhão organizou um policiamento específico para as áreas comerciais de Corumbá e Ladário. Segundo o Ten. Cel Silva e Neto, os policiais militares abriram mão da sua folga em escalas extras para poderem cobrir essas áreas durante os festejos do final de ano. 

Matéria continua após a publicidade

Os policiais militares estarão mais uma vez se sacrificando em prol da comunidade, para que a população de Corumbá e Ladário possam fazer suas compras e aproveitar o final de ano de maneira mais pacífica e segura.

Tenente Coronel Massilon de Oliveira Silva Neto
Tenente Coronel Massilon de Oliveira Silva Neto / Imagem: Ricardo Albertoni

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos