Insatisfeitos com a grande quantidade de ligações recebidas, usuários da Telefônica Brasil S/A (Vivo) decidiram, a exemplo do que ocorreu com assinantes da Claro, recorrer ao link “bloqueio de telemarketing”, parte integrante do site oficial (procon.ms.gov.br) do Procon Estadual, para não mais atenderem pessoas que tentam vender pacotes da operadora de telefonia celular.

Recentemente a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, expediu cinco notificações à referida empresa de telefonia em atendimento aos usuários que estão amparados pela Lei 3.641/2009 e pelo Código de Defesa do Consumidor.

Matéria continua após a publicidade

Houve caso, inclusive, de consumidor que nem mesmo era cliente da Vivo mas que era incomodado diariamente, inclusive em fins de semana, por ligações da empresa na tentativa de venda de produtos e serviços. Diante dos fatos, foram instaurados processos administrativos tendo como base o Código de Defesa do Consumidor, que reconhece a vulnerabilidade do consumidor de boa fé e prevê a sua proteção contra prática abusivas.

O mesmo documento legal estabelece que “o consumidor não é obrigado a tolerar abordagens realizadas por empresas de telemarketing ou outros estabelecimentos por meio de contatos telefônicos” cabendo ao Procon Estadual a notificar a empresa com o fim de cessarem as ligações. O Cadastro para bloqueio de recebimento de ligações de telemarketing (Bloqtel) foi instituído pela Lei estadual 3.641, designando o Procon Estadual como responsável pela fiscalização e garantia de sua aplicação.

Matéria continua após a publicidade

Para poder solicitar bloqueios, os usuários devem se cadastrar por meio do site do Procon Estadual, acessando o link “bloqueio de telemarketing”, podendo registrar tantos números de telefones quantos achar necessários e, assim, passarem a ter tranquilidade de não mais serem importunados.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos