As ligações excessivas do telemarketing das empresas de telefonia voltaram a incomodar os consumidores, mesmo após terem bloqueado os números no portal do “bloqtel”, serviço gratuito oferecido pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação Defesa do Consumidor). Nesta semana, o órgão voltou a notificar pelo menos três operadoras de telefonia.

O Procon-MS constatou que algumas geraram procedimentos internos e um dos reclamantes havia recebido cerca de oito ligações no mesmo dia. No dia 20 de maio, o órgão verificou que houve 10 pedidos de bloqueios de ligação da empresa Vivo, e na data anterior houve outros cinco pedidos no bloqtel.

Matéria continua após a publicidade

A Claro também entra na lista das mais requerentes pelo fim das ligações. De acordo com o órgão, a reclamação contra a empresa é constante e foram realizados um pedido de bloqueio no último dia 23 e quatro no dia 28 por consumidores. A TIM é quem tem o menor número de reclamações, mas da mesma maneira, teve pedidos de bloqueios por parte dos reclamantes após realizar duas ligações no mesmo dia, em 23 de maio. A OI também foi notificada por ter realizado quatro ligações no dia 21 de maio e uma no dia 28, para um mesmo consumidor.

“À medida que o cidadão toma conhecimento da possibilidade de denunciar, passa a procurar seus direitos. O Código de Defesa do Consumidor reconhece a vulnerabilidade do consumidor de boa fé e estabelece que este não é obrigado a tolerar abordagens realizadas por empesas de telemarketing ou outros estabelecimentos por meio de contatos telefônicos”, diz Marcelo Salomão, superintende do Procon.

Matéria continua após a publicidade

O órgão público informa que as denúncias e os pedidos de bloqueios podem ser evitados pelos clientes ao se cadastrarem no site do Procon por meio do link “bloqueio de telemarketing”, devendo fornecer nome, número de RG, CPF e endereço completo e o número dos telefones fixos ou móvel registrados em seu nome e o e-mail.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos