Foi transferido na tarde desta terça-feira (15), o professor acusado de estuprar 3 alunos de uma escola municipal da Capital. Ele foi levado para o Instituto Penal de Campo Grande. Além dos 3 adolescentes, outros 4 casos estão sendo investigados pela polícia.

O depoimento dos adolescentes vítimas de possíveis estupros do professor aponta que os abusos eram cometidos durante as provas. Segundo o delegado Fábio Sampaio, responsável pelas investigações, todos disseram que, quem permanecia por último, recebia as mesmas ameaças. A prisão foi baseada nos relatos de três testemunhas.

Matéria continua após a publicidade

"Elas disseram que a maioria dos abusos eram cometidos em época de prova e, quem permanecia por último, ouvia: ah, você faz isto pra mim que eu te passo. Sobre dinheiro, isto consta nos autos do inquérito, no caso do depoimento do último menino. São três casos já apurados e outros quatro ainda em investigação", comentou ao G1 Sampaio, que não deu mais detalhes do depoimento dos adolescentes.

Preventiva

Na noite de segunda (14), o professor de 59 anos que atuava na Vila Piratininga, foi preso. Ele estava escondido na casa de familiares. A prisão preventiva foi decretada pela 7ª Vara Criminal.

Matéria continua após a publicidade

"Nós tínhamos vários endereços que estávamos checando. A casa dele, sabíamos que não estava mais, já que o local tinha sido apedrejado. Nossa diligências então continuaram e ele foi preso na casa de outro familiar, cerca de 10 minutos depois. A viatura agora está a caminho da delegacia", comentou na ocasião o delegado.

Recentemente, a Secretaria de Educação da cidade disse que se pronunciaria sobre o caso, porém aguardariam mais informações sobre os possíveis crimes.

Entenda o caso

Segundo a polícia, os adolescentes de 12 e 13 anos comentaram entre si sobre os abusos. Os pais ficaram sabendo dos relatos e procuraram a delegacia para registrar boletim de ocorrência, na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca). Todas as vítimas estudam em uma escola na Vila Piratininga, conforme a investigação.

“Todas as vítimas já foram ouvidas, passaram pelo setor psicossocial e confirmaram (os abusos). O suspeito inclusive já foi indiciado”, comentou na ocasião o delegado Fábio Sampaio.

Ainda conforme o delegado, o homem já foi indiciado em três inquéritos por estupro de vulnerável. Segundo o delegado, ele dá aulas em várias disciplinas numa escola da rede municipal de ensino. A pena para este tipo de crime varia de 8 a 15 anos de reclusão.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) afirmou que, quando recebe alguma informação da policia sobre algum ato ilícito praticado por funcionários ligados a rede, já se inicia um processo administrativo e caso a denúncia seja efetiva, o suspeito é afastado das funções.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos