Protesto na Fronteira Corumbá-Bolívia / Imagem: Correio da Manhã

Um protesto de bolivianos na madrugada desta terça-feira (23) em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, fechou a fronteira com a Bolívia. O grupo pequeno não concorda com a situação da eleição presidencial no país vizinho e não deu prazo para liberar o trecho. A mobilização é pacífica.

Matéria continua após a publicidade

A contagem preliminar de votos, interrompida na noite de domingo, foi retomada nesta segunda-feira (21) e chegou a apontar vantagem suficiente para garantir a vitória de Evo Morales no primeiro turno, mas depois a diferença diminuiu, e o resultado era incerto até a publicação desta reportagem. Houve protestos no país após o anúncio de um novo mandato do atual presidente.

Matéria continua após a publicidade

Para vencer a disputa já no primeiro turno, Morales teria que conseguir 50% dos votos válidos mais um ou 40%, mas com pelo menos dez pontos a mais do que o segundo colocado. O segundo turno, caso ocorra, está marcado para 15 de dezembro.

Os manifestantes fecharam a fronteira entre Brasil e Bolívia por volta da meia-noite, usando um caminhão na linha internacional, no posto de fiscalização. Segundo informações, só é possível passar pelo local a pé.

Nas primeiras horas da manhã, apenas veículos que cruzaram a fronteira antes do fechamento eram vistos na rodovia que dá acesso ao Mato Grosso do Sul.

Muitos bolivianos produtos rurais cruzam a estrada diariamente para trabalhar nas feiras livres brasileiras. Cerca de 4 mil bolivianos vivem em Corumbá.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos