Rua Cabral - Corumbá,MS. / Imagem: Correio Da Manhã

Está em tramitação na Câmara Municipal de Corumbá, um Projeto de Lei que pode tornar obrigatória a recuperação do pavimento asfáltico logo após intervenções nas vias. É o que pretende o vereador Yussef Salla, autor da iniciativa, como forma de evitar desgaste maior da pavimentação asfáltica, onerando ainda mais os cofres públicos.

“Acontece que, quando há necessidades de intervenções em vias pavimentadas, a recuperação demora a acontecer e isto acaba acarretando em problemas, não só no trânsito de veículos, mas também onerando os cofres públicos, já que os gastos para restaurar o asfalto, acaba sendo maior em virtude da deterioração de todo o pavimento, principalmente devido a infiltrações do piso, ocasionadas pelas chuvas”, comentou.

Matéria continua após a publicidade

Para evitar problemas futuros, Yussef entrou com o Projeto de Lei esta semana e, se for aprovado pelo Poder Legislativo e sancionado pelo Executivo, vai tornar obrigatória a restauração do pavimento de vias em qualidade igual ou superior à que elas se encontravam, após a realização das obras necessárias.

O vereador se refere a serviços executados por parte das empresas concessionárias de serviço público, incluindo as suas terceirizadas, e empreiteiras contratadas pela Prefeitura Municipal de Corumbá.

Recuperação

Matéria continua após a publicidade

Yussef lembra que, esta semana, entrou com dois requerimentos na Câmara, solicitando às autoridades competentes, a execução de obras de recapeamento do pavimento asfáltico da Rua Cabral, entre as ruas Frei Mariano e Tiradentes.

Ele cita que a via já sofreu intervenções e sem a restauração necessária, encontra-se em condições precárias, prejudicando o tráfego de veículos, bem como de pedestres. Além disso, ele solicitou também que seja recuperada a calçada em frente à Escola Estadual João Leite de Barros, na mesma rua, que também sofreu intenções, e que hoje está intransitável.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos