70 mil toneladas de soja serão embarcadas pelo Porto de Ladário / Imagem: arquivo

A hidrovia vem conquistando cada vez mais espaço na rota de exportações do Mato Grosso do Sul, e nesta semana 70 mil toneladas de soja serão embarcadas pelo Porto de Ladário. O anúncio foi feito pelo governador Reinaldo Azambuja nesta segunda-feira (7.5), durante entrevista no programa Tribuna Livre, na Capital FM. Durante a entrevista, o governador tratou de temas importantes para Mato Grosso do Sul, como infraestrutura e logística. Destacou os investimentos realizados nas hidrovias, com a retomada dos portos de Porto Murtinho e do Porto de Ladário e Corumbá.

“Sempre viramos as costas para o Rio Paraguai. A gente não tirava as riquezas do Mato Grosso do Sul pelo Rio. Hoje mudou. O Estado tem uma visão diferente. O grande canal de escoamento é pelas ferrovias e hidrovias. Ferrovias estamos trabalhando a TransAmericana, que a médio e longo prazo irá sair. O terminal portuário ativado gera desenvolvimento e oportunidades para as cidades. Dá competividade ao setor produtivo e a gente fica contente em poder reativar essa exportação pelo Rio Paraguai”, completou Reinaldo.

Matéria continua após a publicidade

O governador faltou também do Porto de Murtinho, que já está com grande movimento. “Porto Murtinho está operando em sua capacidade máxima. Vamos construir mais terminais portuários. Temos demanda de exportação, estamos sendo procurados por diversos grupos para montar portos ali”, disse o governador.

Reinaldo Azambuja também destacou outros pontos como:

Obras e Infraestrutura: O governador reafirmou o caráter municipalista da gestão, com obras nos 79 municípios do Estado. “Municipalismo é estar presente nas cidades”. Azambuja destacou os investimentos em rodovias e pontes de concreto. “Nesses quatro anos vamos construir 116 pontes de concreto. Muito mais do que foram construídos em 40 anos. Pontes com qualidade e bem executadas”, afirmou.

Matéria continua após a publicidade

Saúde: Reinaldo Azambuja reforçou as ações voltadas para a regionalização da Saúde nos municípios, com a construção de hospitais e ampliação de estruturas hospitalares, como investimentos nos hospitais de Coxim, Ponta Porã, Aquidauana e Nova Andradina, assim como a entrega do prédio do Unidade do Trauma em Campo Grande. Em relação a Caravana da Saúde, o governador lembrou que quando assumiu o mandato em 2015, a fila de espera para cirurgias era 70 mil pessoas. “Com a Caravana já foram realizadas 56 mil cirurgias. Em Campo Grande foram atendidas 20 mil pessoas.  Tem 9 mil pessoas aguardando. Essas cirurgias serão feitas na próxima etapa da Caravana”, disse.

Segurança Pública: Reinaldo Azambuja explicou os investimentos realizados pelo Governo na área de segurança pública, que totalizam R$ 129 milhões durante os três anos e quatro meses de gestão. “O investimento resultou na diminuição de homicídios, roubo e furto. Só campo grande recebeu 229 viaturas. Modernizamos o sistema de inteligência e o sistema de rádio comunicação. Zeramos a fila das promoções dos nossos policiais. Tinha policial soldado que estava há 18 anos esperando para virar cabo. Significou mais de quatro mil promoções só na polícia para dar condições de crescimento na carreira”, destacou.

Dívida Pública: O governador do Estado afirmou que a renegociação da dívida do Estado junto a União reduziu em R$ 1 bilhão o estoque da dívida de Mato Grosso do Sul, com o desembolso mensal caindo de R$ 80 milhões para R$ 40 milhões. “Tivemos uma renegociação vantajosa. Alongamos o perfil dessa dívida para mais 30 anos e diminuiu o desembolso mensal. Tem a dívida junto ao BNDES que foi contraída no governo anterior para a construção de estradas, construção de algumas obras que foram edificadas. Nós repactuamos parte dessa dívida, alongando o prazo de pagamento e diminuindo o desembolso. Nós equacionamos um perfil de pagamento melhor”, completou.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos