Reinaldo ainda afirma outro ponto discutido, inclusive com Bolsonaro, é a segurança nas fronteiras. / Imagem: Divulgação

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse, durante agenda pública realizada na manhã desta segunda-feira (19), que Mato Grosso do Sul deve contar com quatro proposta no Pacto Federativo. A reunião aconteceu na semana passada, em Brasília (DF), e contou com a participação dos novos ministros do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

"Das muitas propostas que apresentamos, quatro eles entenderam e colocaram no documento. Uma prevê o reajuste da tabela SUS. Outra é para destravar o fundo penitenciário, inúmeros projetos não são analisados no Depen, em Brasília", conta o governador.

Matéria continua após a publicidade

“Tem que blindar as fronteiras”Reinaldo Azambuja

Reinaldo ainda afirma outro ponto discutido, inclusive com Bolsonaro, é a segurança nas fronteiras. "Se não blindar as fronteiras de entrada de armas e drogas, fica muito difícil a guerra pública com o crime organizado. Tem que blindar as fronteiras", afirma.

Ainda sobre a segurança pública, Reinaldo afirma que outra proposta foi quanto a possibilidade de destravar o Fundo Nacional de Segurança Pública. "É preciso destravar para a gente poder pagar diária no chamamento de policiais na hora de folga, o que atende os 27 estados. E também poder pagar o policial da reserva, de forma remunerada e ativa. A discussão ficou para ser com o Sérgio Moro, no dia 12 de dezembro, em reunião que vamos apresentar".

Matéria continua após a publicidade

O governador ainda afirmou que o fundo da segurança pública, que reúne parte dos recursos adquiridos pela loterias federais e outros fundos da segurança, precisa ser destravado.

Se a gente for esperar pra chamar concurso leva 1 ano a 1 ano e meio e falta recurso pra isso, finaliza.

 

Com informações: Midiamax

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos