Convenção das Eleições 2016 / ARQUIVO / Imagem: Correio Da Manhã

A pesquisa realizada pelo Ipems/Correio do Estado mostra o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com 42,94% das intenções de voto, liderando a disputa para sucessão estadual. Em segundo lugar está Odilon de Oliveira (PDT) com 29,35%, seguido por Junior Mochi (MDB) que tem no levantamento 7,77%.

O candidato Humberto Amaducci (PT) aparece em seguida com 4,76%, ainda tendo Marcelo Bluma (PV) com 2,62% e João Alfredo (PSOL) tendo 0,72%. Aqueles que na entrevistapreferiram optar pelos votos brancos, nulos, nenhum dos candidatos ou anda não sabem responder representam 11,84%.

Matéria continua após a publicidade

Foram ouvidos 1,5 mil eleitores, em 40 municípios de Mato Grosso do Sul. De acordo com o Instituto, tem um nível de confiança de 95%, com margem de erro de 2,53 pontos para mais ou para menos. As entrevistas foram feitas de 16 a 20 de setembro no Estado.

Segundo o instituto, Reinaldo teria 43,56% nos municípios do interior e 41,61% na Capital. Já Odilon aparece com 30,84% em Campo Grande e 28,65% nos demais municípios. Junior Mochi (MDB) fica com 7,05% na Capital e 8,11% no interior. A variação é pequena para Amaducci que apresenta 6,12% (Capital) e 4,12% (interior).

Já Marcelo Bluma possui 3,55% em Campo Grande e 2,18% nas demais cidades. Completando o quadro, João Alfredo não foi lembrado na Capital, tendo 1,07% no interior. Votos brancos, nulos, nenhum candidato ou que não sabem responder somam 5,39% no interior e 7,27% em Campo Grande.

Matéria continua após a publicidade

O levantamento mostra que Reinaldo Azambuja (PSDB) tem 42,94% das intenções de votos, enquanto que a soma dos demais candidatos chega a 45,22%, ou seja, o tucano estaria perto da marca para vencer no primeiro turno das eleições, faltando um pouco mais de 2 pontos percentuais. A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número: MS-07532/2018.

Com informações Campo Grande News

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos