O repasse dessas vacinas para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul é garantido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). / Imagem: Ilustrativo

Com aumento de casos notificados de sarampo no Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias sejam vacinadas contra a doença. Mato Grosso do Sul recebeu 23,7 mil doses extras para distribuição à população.

O repasse dessas vacinas para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul é garantido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio dos núcleos regionais de saúde. A distribuição será finalizada na próxima quinzena, afirma a gerente de imunização da SES, Kátia Mougenot.

Matéria continua após a publicidade

Todas as crianças com a faixa etária estabelecida pelo Ministério da Saúde devem receber a chamada dose zero contra o sarampo, principalmente as que vão viajar para estados com casos confirmados da doença. Atualmente, 13 estados estão com surto ativo do sarampo.

São eles, segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Piauí, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Em São Paulo, um homem morreu vítima da doença.

Mato Grosso do Sul

Matéria continua após a publicidade

Dados desta quinta-feira (29) do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) revelam que 31 casos suspeitos de sarampo foram registrados este ano no Estado. 23 deles já foram descartados, revela a gerente de doenças imunopreveníveis da SES, Jakeline Fonseca.

“Mais frequente em crianças menores de cinco anos de idade, o sarampo não é tão simples quanto se imagina. É uma doença que pode levar a complicações graves como cegueira, encefalite (inflamação do cérebro), otite (infecção de ouvido) e distúrbios respiratórios”, esclarece Jakeline.

A vacina é a única forma de evitar o contágio da doença. Profissionais da saúde afirmam que os sintomas do sarampo aparecem em trio: 1) febre alta, acima dos 38,5°C; 2) exantema – “pintinhas vermelhas” pelo corpo, iniciando sempre pela cabeça; e 3) tosse, coriza ou conjuntivite.

Além das crianças, grupo mais suscetível à doença, “toda pessoa que apresentar febre e pintinhas espalhadas pelo corpo, com início na cabeça e no pescoço, acompanhadas de tosse, ou coriza ou conjuntivite deve procurar atendimento médico para ver se é sarampo”, completa Jakeline.

Imunização

A dose zero da vacina contra sarampo para bebês entre seis meses e 11 meses e 29 dias é aliada ao calendário de rotina para imunização contra a doença. Além dela, existe a dose um (tríplice viral), para crianças a partir de 12 meses e a dose dois (tetraviral), para indivíduos de 15 meses.

É importante que os pais sigam o calendário nacional de vacinação, editado pelo Ministério da Saúde, uma vez que a vacina tríplice viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Já a tetraviral defende a criança contra as três doenças mais a varicela, conhecida como catapora.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos