O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, pediu afastamento do cargo para “tratar de assuntos particulares”. A solicitação foi atendida pelo presidente Jair Bolsonaro.

Conforme despacho publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União, Moro se distancia da pasta de 15 a 19 de julho de 2019, de segunda a sexta-feira da próxima semana.

Matéria continua após a publicidade

Segundo reportagem da Exame, o Ministério da Justiça explicou, por meio de assessoria, que o afastamento se trata de licença não remunerada prevista em lei. “Por ter começado a trabalhar em janeiro, o ministro não tem ainda direito a gozar férias. Então está tirando uma licença não remunerada, com base na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990”, informou nota.

A reportagem mostra ainda que, de acordo com auxiliar da pasta, a licença já era planejada desde que Moro assumiu o ministério e não tem a ver com o cenário atual de pressão relacionada às trocas de mensagens com procuradores, reveladas pelo The Intercept Brasil.

Matéria continua após a publicidade

O secretário Nacional de Justiça, Luiz Pontel de Souza, assume a pasta durante a ausência de Sérgio Moro.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos