Colegas defendem técnico detido pela PM na noite desta quarta-feira (15) em Corumbá. / Imagem: Arquivo de Whatsapp.

O técnico em assistência pedagógica, Alexandre Silva, servidor do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), em Corumbá, foi levado pelo camburão da Polícia Militar durante a manifestação de alunos, professores e profissionais da educação, em frente da Unidade I do Campus Pantanal (UFMS), contra os cortes na educação anunciados pelo Governo Federal.

A detenção ocorreu na noite desta quarta-feira (15), por volta das 19h00.

Matéria continua após a publicidade

Conforme alunos que presenciaram o fato, o técnico foi abordado por agentes da PM enquanto manifestava na avenida Rio Branco.

O servidor trajava uma camiseta vermelha do sindicato que integra. Colegas do técnico alegam que ele foi o único a ser abordado por justamente trajar vermelho e ser considerado “comunista”, o que, segundo manifestantes, teria incomodado os policiais.

A justificativa da detenção, conforme testemunhas, teria sido em razão do servidor se manifestar no meio da via e ter, conforme os policias, atrapalhado o trânsito e provocado um distúrbio que fugia da proposta da mobilização.

Matéria continua após a publicidade

Ainda conforme testemunhas que ouviram os agentes, a Polícia Militar não teria sido informada formalmente da manifestação.

Já os manifestantes acusam a PM de abuso de poder em relação ao caso.

A Polícia Militar ainda não se manifestou sobre o caso. Conforme informações preliminares, o servidor foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Corumbá.

Ele prestou esclarecimentos e foi liberado logo depois.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos