Depois de sete anos utilizando as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como única via de ingresso aos cursos de graduação, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) “ressuscitou” o vestibular este ano. Com a medida, a sobra de vagas aumentou.

Segundo a UFMS, o índice de ocupação das 5.265 vagas oferecidas no verão de 2018 foi de 94%, ou seja, 316 lugares não foram aproveitados. No ano passado, conforme relatório divulgado pela instituição de ensino, a taxa de preenchimento ficou em 96%, com 5.220 vagas abertas e resto de 184 ociosas.

Matéria continua após a publicidade

O acesso via Sistema de Seleção Unificado (Sisu), que aproveita as notas do Enem, contemplou 70% das vagas ofertadas em 2018. Os outros 30% foram destinados ao vestibular, que contou com 8 mil candidatos. A UFMS dispõe de 114 cursos de graduação presenciais em dez municípios.

A universidade alega que tem ampliado as formas de acesso, de modo a ocupar as vagas que sobram. Entre as opções, estão as transferências de outras instituições de Ensino Superior por meio de programa de mobilidade ou intercâmbio e o ingresso de portador de diploma de curso superior.

Matéria continua após a publicidade

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos