Preso nessa quinta-feira (10/10/2019) por ter matado a sobrinha Estela, de 6 anos, Paulo Evangelista deu detalhes do crime à polícia. Depois de enforcar a criança, ele colocou pedaços de tijolos na boca da menina para abafar os gritos e a deitou na cama, para simular que estava dormindo. As informações são do jornal O Dia.

Em coletiva nesta sexta-feira (11/10/2019), a polícia afirmou que Estela brigava com o irmão quando o tio, sob o efeito de drogas, perdeu a paciência e agrediu a sobrinha. No dia seguinte, Paulo a colocou dentro de um saco para se desfazer do corpo.

Matéria continua após a publicidade

De acordo com o delegado Bruno Cinello, da Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), a mãe da criança foi agredida e ameaçada por traficantes do Morro dos Prazeres enquanto Estela estava desaparecida. A motivação teria sido o descaso de Luciana Evangelista com a menina.

A presença dela no enterro não está confirmada, pois, mesmo com a segurança da polícia, Luciana disse estar assustada. Segundo Cinello, todos que moravam na casa receberam proteção.

Paulo Evangelista estava desaparecido e era procurado pela polícia para prestar esclarecimentos. Ele foi a última pessoa vista com a menina, quando saíram juntos para ir à praia no último sábado (05/10/2019).

Matéria continua após a publicidade

Sobre o caso

Paulo Evangelista, de 29 anos, tio da menina Estela Evangelista de Oliveira, de 6 anos, foi preso na noite desta quinta-feira (10/10/2019) por agentes da Operação Aterro Presente. O homem, que estava sem documentos e foi levado para a 9ª DP (Catete), onde os agentes confirmaram as digitais. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios da Capital.

Paulo era procurado pela polícia para prestar esclarecimentos. Ele foi a última pessoa vista com a menina, no sábado (05/10/2019), quando saíram juntos para ir à praia. O homem é irmão da mãe de Estela.

As informações são do jornal O Dia.

De acordo com o laudo preliminar, a criança tinha sinais de estrangulamento. O documento definitivo sai em até 30 dias.

Familiares da menina chegaram ao Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro às 10h desta quinta-feira (10/10/2019). Luciana Evangelista, mãe de Estela, precisou ser amparada. O documento liberado pelo IML apontou manchas escuras no pescoço da vítima, como se tivesse sido quebrado ou enforcado.

Os parentes reconheceram o corpo da menina pelas roupas e um colar que ela usava no dia do desaparecimento. Segundo uma tia de Estela, o corpo foi encontrado embaixo de uma escada, a três minutos de distância da casa em que ela morava com a mãe e o tio Paulo Sérgio.

O crime

O corpo de Estela foi encontrado no alto do Morro dos Prazeres, em Santa Tereza, Rio de Janeiro, na última quarta-feira (09/10/2019). Um morador encontrou o saco plástico com o cadáver e acionou a polícia.

Dê sua opinião, comente esta matéria!

ATENÇÃO: Os comentários desta matéria são gerenciados pelo Facebook - que posta, agrega os comentários e os exibe nesta página. Este site não se responsabiliza por qualquer comentário indevido, feito à qualquer pessoa ou instituição - sendo cada comentário, de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores e as denúncias deverão ser encaminhadas diretamente ao Facebook.

Já leu?

Leia nossos Artigos